Manchester City deixa jogo sub-21 por suposto racismo

Time croata, por sua vez, negou que um dos seus jogadores tenham agido de forma racista

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

O Manchester City divulgou um comunicado em seu site oficial para explicar os motivos que fizeram o time sub-21 do clube abandonar um amistoso contra HNK Rijeka, em Novigrad, na Croácia, disputado na última terça-feira. O clube apontou que o jogador francês Seko Fofana, que é negro, foi vítima de supostos insultos racistas proferidos por um atleta da equipe adversária.

O alegado ato racista teria ocorrido no final do primeiro tempo do duelo. Aos 44 minutos, o meio-campista de 19 anos acabou expulso de campo após reagir contra provocações que teriam sido de cunho racial. Segundo o City, o jogador foi excluído de campo após o "incidente ocorrido sem a bola em campo".

Após o conflito, o ex-jogador francês Patrick Vieira, campeão mundial em 1998 e técnico da equipe inglesa, foi conversar com o árbitro e em seguida resolveu tirar o seu time de campo. O time croata então vinha vencendo o duelo por 1 a 0.

Por meio de um breve comunicado, o clube inglês disse, sem entrar em detalhes sobre o ocorrido, que "está em contato com dirigentes, com os organizadores do jogo e com a Associação de Futebol da Croácia para avançar neste assunto".

O HNK Rijeka, por sua vez, negou que um dos seus jogadores tenham agido de forma racista em relação a Fofana, atleta da seleção francesa sub-19, que chegou ao City em janeiro do ano passado, contratado junto ao Lorient, da França.

"O técnico do Manchester, Patrick Vieira, entrou em campo, falou com o árbitro e depois, para a surpresa de todos em um estádio bastante cheio, tirou seu time do campo de jogo. Quais as razões? Só ele sabe", disse o clube croata, por meio de nota oficial, na qual ainda fez uma provocação: "Talvez eles esperavam um rival fácil".  

Leia tudo sobre: manchester citydeixacamporacismosub-21