Procura-se shows que façam rir

Novas comédias não conseguem alcançar a maestria de “Friends” e similares

iG Minas Gerais | Isis Mota |

Turma de “Undateable” não tem nenhum jeito com as mulheres
NBC/Divulgação
Turma de “Undateable” não tem nenhum jeito com as mulheres

Novas comédia com os resultados de “Friends”, “Two and a Half Men” e “The Big Band Theory” estão em falta há muitos anos. “Modern Family” e “Veep” bem que tentaram, mas acabaram restritas a um universo mais cult. E “The Middle”, embora tenha batido seus recordes de audiência na última temporada, passando dos 9 milhões de espectadores nos Estados Unidos, está longe de ser unanimidade. Resta às novatas a missão de reavivar o gênero.

Mas não há muita esperança à vista. “Ground Floor” (“Andar de Baixo”), que a Warner estreou ontem, e “Undateable” (“Os Impegáveis”), que começa a ser exibida hoje no Brasil pelo mesmo canal, poderiam ser as novas queridinhas. Só que não. Em comum, as duas têm Bill Lawrence, produtor que já esteve por trás de “Scrubs”, “Spin City” e “Cougar Town”. “Undateable” tem como criador Adam Sztykiel, também envolvido nas mesmas séries, e “Ground Floor” tem Greg Malins, cujo nome aparece nos créditos de “Friends”.

História antiga. Quem se lembra do comecinho de “Grey’s Anatomy” vai ter um leve “déjà vu” com “Ground Floor”: o cara conhece a garota em um bar, os dois passam a noite juntos acreditando que nunca mais vão se ver e descobrem que trabalham no mesmo prédio. Em vez de médico e residente, aqui ele é bancário, e ela, supervisora de manutenção. Como no drama médico, vão se envolver. Só que com risadas automáticas ao fundo.

Os cenários são simples, e o figurino, pobre. As câmeras estão sempre exatamente onde se espera, sem nenhuma surpresa boa, e a interpretação é sem sal. O texto não ajuda, os homens parecem mais um bando de colegiais brincando de escritório. O único com mais de 30 anos é John C. McGinley, que vive um rico que veio do nada, ao mesmo tempo bruto e cômico.

O casal em questão vive um romance na linha “os opostos se atraem” cheio de preconceitos: de um lado, os pobres que não fizeram faculdade e trabalham em subempregos, e do outro, os yuppies engravatados.

“Undateable” é menos previsível e mais engraçada. Baseada no livro “Undateable: 311 Things Guys Do That Guarantee They Won’t Be Dating or Having Sex”, de Ellen Rakieten e Anne Coyle, é a história de um grupo de rapazes de vinte e poucos anos que não se dá bem com as mulheres.

Nenhuma das duas séries consegue fazer o espectador rir junto com a claque mais que uma ou duas vezes. Ainda bem que gosto é livre e alguém aí vai ajudar a mantê-las no ar por pelo menos mais uma temporada, já confirmada.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave