Confronto pelo ensino técnico

Pimenta afirmou que uma das principais propostas de campanha para a educação é o aprofundamento do Programa de Ensino Profissionalizante (Pep)

iG Minas Gerais | Isabella Lacerda e Larissa Arantes |

A acusação feita pelo candidato do PT Fernando Pimentel de que o governo de Minas não construiu nenhuma escola técnica ao longo dos 12 anos de administração estadual dominou as agendas de campanha nesta terça no Estado. O candidato do PSDB, Pimenta da Veiga, rebateu a declaração e disse que o programa federal voltado ao ensino de nível técnico, o Pronatec, “forma jovens desconectados”.

“O que o Pronatec tem feito é isso: forma jovens desconectados com o mercado e causa frustração. Agora, de resto, se ele (Fernando Pimentel) acha que é importante a escola profissionalizante, por que ele, (quando) ministro, poderoso, não fez escola?”, alfinetou durante agendas em Santa Luzia e Vespasiano, ambas na região metropolitana.

Pimenta afirmou que uma das principais propostas de campanha para a educação é o aprofundamento do Programa de Ensino Profissionalizante (Pep) do Estado, criado em 2007. Atualmente, a iniciativa atende 140 mil alunos em 132 municípios.

“O Pronatec tem só uma preocupação: a estatística, que é formar pessoas de qualquer modo”, disparou ao ser questionado se pretende criar mais escolas técnicas caso seja eleito. Sobre as constantes críticas de Pimentel, o tucano “sugeriu” que ele se informe mais.

Horas mais tarde, Pimentel voltou a falar sobre o tema e, em encontro com gestores do Correios e Telégrafos em Belo Horizonte, declarou que o que o PSDB fez ao longo dos últimos governos em Minas “foi muito marketing e propaganda, e pouca ação e efetividade”.

“A Minas real que a gente assiste é, no ensino, o governo federal fazendo o que pode e o que não pode para ajudar os municípios e prefeituras e, onde tem o governo estadual, ele não faz nada”, afirmou Pimentel.

O petista aproveitou para apontar os problemas de gestão do governo mineiro na área da saúde. “Vamos herdar quando chegarmos ao governo oito esqueletos, alguns inacabados, outros em andamento muito lento, mas nenhum hospital pronto. É um descaso tão evidente que não tem defesa possível”, reclamou o ex-ministro. 

Exclusão

Chapa. O Tribunal Regional Eleitoral de Minas deferiu nesta terça o registro da coligação de Pimenta da Veiga (PSDB) ao governo mineiro, mas determinou que o PTN seja excluído da aliança.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave