Dilma tem 38% e Aécio soma 22% segundo o Ibope

Presidente oscilou um ponto para baixo e o tucano registrou um ponto a mais que no levantamento anterior

iG Minas Gerais | Da Redação |

Pesquisa Ibope divulgada nesta terça-feira pelo "Jornal Nacional", e encomendada pela "TV Globo", em parceria com o jornal "O Estado de S.Paulo", mostra que a presidente Dilma Rousseff (PT) teria 38% dos votos se a eleição fosse hoje. Dilma oscilou um ponto percentual para baixo em relação à última pesquisa, dentro, portanto, da margem de erro, que é de 2 pontos para mais ou para menos. O candidato do PSDB, Aécio Neves, registrou 22% no levantamento divulgado ontem. Na pesquisa anterior, Aécio somava 21%. A oscilação para cima, portanto, também ocorreu dentro da margem de erro. Eduardo Campos (PSB) perdeu dois pontos, no limite da margem de erro. Tinha 10% e agora tem 8%. Pastor Everaldo (PSC) somou 3%, mesmo índice da pesquisa anterior. Eduardo Jorge (PV), Zé Maria (PSTU), Luciana Genro (PSOL) e Eduardo Jorge (PV) somam 1% cada um. José Maria Eymael (PSDC), Levy Fidélix (PRTB), Mauro Iasi (PCB) e Rui Costa Pimenta (PCO) registram, juntos, 1%. Brancos e nulos são 16% (eram 13%)  e indecisos são agora 9% (eram 8%). A pesquisa foi realizada entre sexta-feira (18) e segunda-feira (21) e ouviu 2.002 eleitores. Com os números atuais, não é possível prever se haverá ou não segundo turno. Assim, o Ibope simulou os números para uma eventual disputa. Contra Aécio, Dilma teria 41%, contra 33% do tucano. Contra Eduardo Campos, a presidente soma os mesmos 41% e o socialista tem 29%. Brancos e nulos são 18% no cenário com Aécio e 20% no cenário com Campos. Com o tucano, os indecisos somam 8% e, com o socialista, são 10%.   Avaliação do governo O Ibope também mediu a avaliação do governo Dilma Rousseff e o cenário foi de relativa estabilidade em relação ao levantamento anterior, feito em junho. O índice dos que consideram o governo ótimo ou bom somou 31%, mesmo índice da pesquisa anterior. Os que consideram o governo regular passaram de 34% para 36%, enquanto os que consideram que a gestão é ruim ou péssima se mantiveram em 33%. Nos dois levantamentos o índice das pessoas que não souberam ou não responderam ficou em 1%. Em relação à aprovação da forma de Dilma Rousseff governar, a estabilidade foi total. Assim como em junho, 44% aprovam a presidente, 50% desaprovam, enquanto 6% não souberam ou não responderam. O intervalo de confiança da pesquisa é de 95% e a margem de erro para a avaliação de governo também é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos.

Leia tudo sobre: eleiçõespesquisa ibopeeleição2014