Marina vê indícios de 'ilicitudes' em aeroporto em MG

Ela pediu "punição exemplar" aos responsáveis pela construção de um aeroporto no terreno de parentes do presidenciável Aécio Neves (PSDB)

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

A ex-senadora Marina Silva, candidata a vice na chapa de Eduardo Campos (PSB) à Presidência da República, pediu, nesta terça-feira (22), na capital mineira, "punição exemplar" aos responsáveis pela construção de um aeroporto no terreno de parentes do presidenciável Aécio Neves (PSDB), caso seja comprovada alguma irregularidade na obra. Segundo ela, há fortes indícios de "ilicitudes" na implantação da pista na área desapropriada pelo governo de Minas, situada no município de Cláudio, região centro-oeste do Estado.

O governo de Minas gastou quase R$ 14 milhões para construir, em 2010, o aeroporto. À época, Aécio era governador em final de mandato. A área foi desapropriada pelo Estado antes da execução da obra, mas Múcio Guimarães Tolentino, dono do terreno, tio-avô de Aécio e ex-prefeito de Cláudio contesta na Justiça o valor proposto pelo governo para a indenização, que ainda não foi paga.

Com a desapropriação, o Estado obteve a posse do terreno, mas ele só poderá ser registrado em nome do governo após o pagamento. "Eu e o Eduardo Campos estamos lutando contra estes grandes grupos que se alimentam da corrupção. É por isso que cada um tem um mensalão para chamar de seu", afirmou.

Aécio garante que a construção do aeroporto seguiu "critérios técnicos", que o governo de Minas só deu início ao empreendimento depois de "desapropriado o terreno" e que seus familiares "não tiveram nenhum benefício" com a obra. Porém, Marina Silva defendeu que o Ministério Público investigue a fundo a questão. "Se forem comprovados os atos ilícitos ou má-fé a punição deve ser feita aos responsáveis exemplarmente", ressaltou a ex-senadora.

Ao lado do candidato do PSB ao governo mineiro, Tarcísio Delgado Marina Silva descartou qualquer possibilidade de subir em palanques do PSDB em São Paulo ou em outros Estados. O PSB paulista prepara uma série de peças publicitárias em que a ex-senadora aparece ao lado do governador Geraldo Alckmin (PSDB). A montagem vai decorar os comitês que pedirão voto para o tucano e para o presidenciável Eduardo Campos. Marina é contrária à aliança e se recusa a fazer campanha pelo governador tucano. "O PSB tem o direito de fazer alianças nos Estados com quem bem entender. Agora, eu não subo em palanque do PSDB", garantiu.

Marina Silva chegou a Belo Horizonte, por volta das 15h30. Visitou o Café Nice, tradicional ponto de encontro de políticos na capital mineira e depois fez uma caminhada até o Mercado Central, onde chegou no final da tarde. Cumprimentou eleitores e experimentou os produtos do mercado. Em 2010, quando concorreu à Presidência pelo PV, Marina teve 560.037 votos (40%) dos belo-horizontinos, 126 mil votos à frente de Dilma Rousseff (PT) que recebeu 434.157 (31%).  

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave