Série de O TEMPO sobre mineroduto é finalista em prêmio internacional

Reportagens foram publicadas entre 22 e 29 de março deste ano e concorreram com outros 223 trabalhos de vários países, sendo selecionadas junto com outros 19 finalistas

iG Minas Gerais | Da redação |

O indiozinho Pataxó, Wekana, nada em rio na Carmésia, no Vale do Rio Doce. Foto: Mariela Guimarães
MARIELA GUIMARAES / O TEMPO
O indiozinho Pataxó, Wekana, nada em rio na Carmésia, no Vale do Rio Doce. Foto: Mariela Guimarães

A série de reportagens “Um mineroduto que passou em minha vida”, produzida pelas repórteres Ana Paula Pedrosa, Queila Ariadne e Mariela Guimarães, é uma das únicas três reportagens do Brasil entre os 20 finalistas da categoria imprensa diária do Prêmio de Jornalismo Iberoamericano do IE Business School. Ao todo, foram 224 reportagens inscritas de 135 veículos de comunicação de países como Colômbia, Guatemala, Panamá, Chile, México, Argentina, Peru e Uruguai. Os vencedores serão conhecidos em setembro e receberão o prêmio no dia 6 de outubro, em Madri, Espanha. Organizado em parceria com o Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF) e com apoio da CMN em Espanhol e Casa de América, a premiação tem o objetivo de reconhecer os melhores trabalhos jornalísticos publicados ou divulgados por meios de comunicação (imprensa escrita, revistas, blogs, webs, rádio ou televisão) da América Latina,  com foco na divulgação da cultura econômica na sociedade.

Publicada pelo O TEMPO de 22 a 29 de março de 2014, a série retrata um rastro de destruição deixado pelos 525 km do maior mineroduto do mundo, que a britânica Anglo American está construindo dentro de Conceição do Mato Dentro, região Central de Minas, até o São João da Barra, no Rio de Janeiro, onde está se sendo instalado o Porto de Açu. O projeto está em fase de licenciamento e, apesar dos problemas ambientais e sociais, a empresa mantém o cronograma do primeiro embarque de minério para o fim deste ano.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave