Trem enguiça e paralisa transporte no Rio de Janeiro

Depois que o problema foi resolvido, passageiros que estavam no veículo enguiçado tiveram que percorrer pelo menos 500 metros a pé pela linha férrea até a estação Central do Brasil

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Um trem que vinha de Queimados, Baixada Fluminense, enguiçou na altura de São Cristóvão, zona norte do Rio, na manhã desta terça-feira (22), após a quebra do pantógrafo--cabo condutor que leva energia ao transporte. O incidente provocou a queda de eletricidade do sistema por pelo menos dez minutos e paralisou a circulação de trens entre as estações São Cristóvão e Central do Brasil.

Depois que a energia voltou, passageiros que estavam no veículo enguiçado tiveram que percorrer pelo menos 500 metros a pé pela linha férrea até a estação Central do Brasil --sem que o sistema fosse interrompido. A reportagem flagrou um trem circulando com velocidade reduzida na via que os passageiros caminhavam. Para se proteger, eles seguiram por um caminho de concreto próximo a parede da ferrovia.

A SuperVia --concessionária que administra o transporte ferroviário no Rio - informou que os passageiros receberam apoio de seguranças habilitados para prestar socorro. Mas a concessionária admitiu também que um trem circulava próximo aos passageiros na via e, inclusive, buzinava para alertar a passagem do transporte.

Os trens que seguiam para a Central do Brasil ficaram cerca de 20 minutos parados. A SuperVia informou que os atrasos aconteceram porque o trecho entre São Cristóvão e Central ficaram sem energia nas linhas que atendem os ramais de Santa Cruz e Japeri. Por volta das 9h, o sistema estava normalizado, mas o trem enguiçado continuava na via.

Em nota, a Agetransp, a agência reguladora dos transportes do Estado, afirmou que abriu um boletim de ocorrência para apurar as causas do incidente com o trem. "Técnicos da agência reguladora se deslocaram para o local do incidente. Eles também avaliam a qualidade do atendimento prestado aos usuários e os procedimentos adotados pela Supervia para o restabelecimento da normalidade na circulação".

Caso se repete

No dia 22 de janeiro deste ano, a colisão de um trem com um poste que sustentava a rede elétrica paralisou a circulação de trens entre a estação de São Cristovão, na zona norte, onde houve o acidente, e a Central do Brasil, no Rio. Por quase 12 horas, a principal estação da cidade, por onde passam 600 mil pessoas por dia, ficou fechada.

O problema fez os trens que vinham da zona oeste e da Baixada Fluminense pararem nas estações do Engenho de Dentro e de São Francisco Xavier (zona norte).