Estadual feminino se repete

Assim como em 2013, o tradicional Mackenzie não conseguiu apoio e fica fora da disputa

iG Minas Gerais | Débora Ferreira |

Desafio. Técnico Marco Queiroga tem a missão fazer o tradicional Minas suplantar o favorito Praia Clube no Estadual  deste ano
douglas magno
Desafio. Técnico Marco Queiroga tem a missão fazer o tradicional Minas suplantar o favorito Praia Clube no Estadual deste ano

Ao que tudo indica, o Campeonato Mineiro de Vôlei Feminino será bem semelhante ao que foi disputado em 2013. Primeira competição oficial dos clubes do Estado em 2014, ele tem início previsto para o dia 17 de agosto e encerramento em dia 17 de outubro. Mais uma vez, apenas cinco clubes participarão do Estadual.

Até o momento, quatro equipes estão confirmadas: Banana Boat-Praia Clube, de Uberlândia, Comercial Voleibol, o clube de Conselheiro Lafaiete e o Camponesa-Minas.

Segundo a coordenadora do vôlei feminino da Federação Mineira de Vôlei (FMV), Juliana Parente, a quinta vaga deve ser preenchida ainda nesta semana.

“Ano passado também foram cinco com clubes. Além dessas equipes, o Divinópolis também participou. O número pequeno de times talvez seja pela disponibilidade das prefeituras, dos próprios times, do governo”, explicou ela.

Assim como no masculino, o objetivo é que o campeonato termine antes da disputa da Superliga começar, para não prejudicar os que estarão mais uma vez na competição nacional, o Praia e o Minas.

Ausência. Uma dos clubes mais tradicionais na formação de atletas em Minas, o Mackenzie, de Belo Horizonte, continuará fora da competição. O time, que revelou jogadoras como Sheilla, Érika e Thaisinha, não tem patrocínio desde 2012 e se concentra só nas base.

Protagonista de uma grande campanha em 2011/2012 na Superliga feminina, sob o comando de Ricardo Picinin, atualmente no Praia, a equipe belo-horizontina é a maior detentora de títulos do Mineiro, com 15 conquistas.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave