Coreto de Caratinga terá sala de cinema e exposições

Obra assinada por Oscar Niemeyer passa por revitalização, que será concluída em setembro

iG Minas Gerais | camila bastos |


Perspectiva mostra como o coreto vai ficar depois de obra concluída
Divulgacao / Prefeitura de Carat
Perspectiva mostra como o coreto vai ficar depois de obra concluída

Um tradicional coreto localizado no centro da cidade de Caratinga, no Vale do Rio Doce, assinado pelo arquiteto Oscar Niemeyer, passa por obras de revitalização. O monumento receberá, durante o dia, exposições de arte e projeções de cinema no subsolo. No período noturno, ele ficará fechado.

Para o presidente do Conselho Municipal do Patrimônio Cultural da cidade, João Paulo Bramusse, o projeto irá “salvar” o coreto. Segundo ele, a praça Cesário Alvim, onde a obra foi construída, é hoje um ponto de prostituição e de uso de drogas. “Durante a noite, o subsolo do coreto é feito de banheiro público”, relatou.

No novo projeto, os vãos serão fechados com vidros sanfonados, que poderão ser abertos, e o interior será uma espécie de galeria de arte, em que os artistas locais serão privilegiados.

No subsolo será instalada uma sala de projeção, que receberá visitas guiadas de escolas durante a semana e será aberta ao público aos sábados e aos domingos. De acordo com Bramusse, ainda não há definição de quais obras serão exibidas nos dois espaços, que serão climatizados com ar-condicionado.

Histórico. O coreto foi construído na década de 80. A execução do projeto de Niemeyer não foi acompanhada pelo arquiteto, e a precariedade da mão de obra na ocasião, segundo Bramusse, resultou em um trabalho posteriormente renegado pelo artista.

Mesmo assim, a obra foi tombada pelo patrimônio municipal no começo da década de 2000.

Projeto

Detalhes. A revitalização do coreto custa cerca de R$ 100 mil. As intervenções começaram no início deste mês, e a previsão é que elas sejam concluídas em setembro deste ano.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave