Comércio eletrônico também perdeu com o Mundial

Pesquisa demonstra que vendas na internet caíram quase 20% durante a Copa do Mundo no Brasil

iG Minas Gerais | ludmila Pizarro |

Compras e acesso aos sites de vendas caíram durante a Copa
ALEXANDRE MOTA – 18.10.2002
Compras e acesso aos sites de vendas caíram durante a Copa

A grande festa que tomou as ruas do Brasil durante a Copa do Mundo não se repetiu no comércio, incluindo as vendas pela internet, que caíram 19,3% entre 12 de junho e 13 de julho em comparação ao período de 11 de maio a 11 de junho. Os dados são da Conversion, empresa especializada em Search Engine Optimization (SEO), que analisou cerca de seis milhões de visitas em lojas virtuais.

Isso pode ser parcialmente explicado pelo fato de que o volume de acesso caiu 13,51%. “Durante os jogos do Brasil havia uma diminuição absurda de acesso. Caía 50% o número de clientes conectados”, explica o CEO da Conversion, Diego Ivo.

A única boa notícia para as empresas de e-commerce foi que nesse período o tíquete médio de compras subiu de R$ 248,63, no período anterior, para R$ 255,66 durante a Copa. “Provavelmente porque os produtos tinham valor agregado maior, como eletrônicos”, analisa Diego Ivo.

Lojas físicas. Na avaliação de Alessandro Runcini, diretor do Conselho Regional Savassi da Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL/BH), para o comércio local o Mundial também atrapalhou as vendas, com poucas exceções. “Os únicos setores que ganharam com a Copa foram o gastronômico, bares e restaurantes – mesmo assim apenas na Savassi e um pouco na Pampulha – material esportivo, com produtos licenciados Fifa e uma ou outra loja de artesanato. Ou seja, para cerca de 90% do comércio o desempenho foi muito abaixo da expectativa”, diz Runcini. Ele salienta que o aumento nas vendas ocorreu na praça da Savassi e não em toda a região.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave