Trem com corpo de vítimas do MH17 está em Donetsk

Autoridades malaias não foram ao local do acidente, uma vez que líder separatista Alexander Borodai alertou-os dizendo que era perigoso fazer isso antes do cessar-fogo unilateral ser declarado

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Ukrainian emergency workers dismantle the wreckage at the crash site of Malaysia Airlines Flight 17 near the village of Hrabove, eastern Ukraine, Sunday, July 20, 2014. Rebels in eastern Ukraine took control Sunday of the bodies recovered from downed Malaysia Airlines Flight 17, and the U.S. and European leaders demanded that Russian President Vladimir Putin make sure rebels give international investigators full access to the crash site.(AP Photo/Evgeniy Maloletka)
Associated Press
Ukrainian emergency workers dismantle the wreckage at the crash site of Malaysia Airlines Flight 17 near the village of Hrabove, eastern Ukraine, Sunday, July 20, 2014. Rebels in eastern Ukraine took control Sunday of the bodies recovered from downed Malaysia Airlines Flight 17, and the U.S. and European leaders demanded that Russian President Vladimir Putin make sure rebels give international investigators full access to the crash site.(AP Photo/Evgeniy Maloletka)

O trem que transporta os corpos das vítimas do voo MH17 da Malaysia Airlines poderá sair "a qualquer momento" de Donetsk, afirmou o líder separatista Alexander Borodai.

No entanto, Borodai, não explicou a demora da parada do trem em Donetsk, horas depois de ter deixado a cidade de Torez, mais próximo ao local do acidente. De Donetsk, o comboio deve seguir para a cidade de Khakiv.

Borodai também entregou as caixas-pretas do avião abatidos às autoridades da Malásia depois de horas de discussão na sede da autoproclamada República Popular de Donetsk, do qual o separatista é o autoproclamado primeiro-ministro. Ele também declarou um cessar-fogo unilateral no entorno do local do acidente e disse que permitiria que as autoridades de segurança da Holanda e de outros países, exceto a Ucrânia, acompanhem as investigações internacionais do acidente.

A delegação da Malásia, de 12 pessoas chefiadas pelo coronel Mohd Sakri, chegou em Donetsk no início da tarde desta segunda-feira e passou horas conversando com os líderes rebeldes. As autoridades malaias não foram ao local do acidente, uma vez que Borodai alertou-os dizendo que era perigoso fazer isso antes do cessar-fogo unilateral ser declarado. Fonte: Dow Jones Newswires.  

Leia tudo sobre: Ucrânia;