Confiante para o Mundial, Magnano evita fazer previsões

Treinador argentino acredita que Brasil estará bem preparado para fazer um bom papel na competição

iG Minas Gerais |

Diante de tradicional seleção de Porto Rico, Brasil quer iniciar a competição com uma boa impressão
Site oficial
Diante de tradicional seleção de Porto Rico, Brasil quer iniciar a competição com uma boa impressão

Depois de ter se apresentado ao técnico Rubén Magnano, a seleção brasileira masculina de basquete inicia nesta segunda-feira, em São Paulo, os treinos visando o Mundial da Espanha, que começa no próximo dia 30 de agosto. Contando com todos os dez jogadores convocados à disposição, entre eles Tiago Splitter, Nenê, Anderson Varejão e Leandrinho, participantes da última temporada da NBA, o time nacional aparece como um dos candidatos a um lugar no pódio da competição. No início da tarde desta segunda, porém, o treinador argentino evitou fazer previsões ou promessas ao ser questionado sobre as chances de o Brasil brilhar em solo espanhol, embora tenha exibido confiança ao projetar o torneio. "Eu não vou falar sobre resultado futuro porque não sou adivinho mas confio nas minhas sensações e na minha percepção. Vamos estar em um patamar muito bom para lutar pela medalha. A minha sensação é a mesma que tive depois do Mundial de Indianópolis, em 2002 (quando dirigiu a Argentina vice-campeã do torneio), e depois quando comecei a preparar a seleção (brasileira) para os Jogos Olímpicos de Londres", afirmou o comandante, em entrevista coletiva concedida em um hotel de São Paulo. O pivô Tiago Splitter, por sua vez, disse que Magnano já se acertou com todos os medalhões da seleção depois polêmico episódio ocorrido no ano passado, quando o técnico chegou a dizer que iria pedir para a Confederação Brasileira de Basquete (CBB) cobrar "comprometimento" aos jogadores que pediram dispensa do time nacional. Em setembro passado, o treinador exibiu descontentamento por não poder contar com nomes importantes na Copa América da Venezuela, onde a equipe brasileira teve uma campanha vexatória. "Estou muito feliz, vieram todos os jogadores convocados. Agora foi tudo resolvido, todos conversaram e isso é uma página virada", disse Splitter, que se sagrou campeão da NBA pelo San Antonio Spurs neste ano. Já o veterano Marcelinho, de 39 anos, festejou a chance que ganhou de defender o Brasil em mais um Mundial, depois de ter chegado a dar adeus à seleção por duas vezes. "Eu não sou bom para me despedir da seleção. Já me despedi duas vezes e voltei. Fiquei animado por ter me recuperado da minha lesão e ter feito uma boa temporada pelo Flamengo. Participei de quatro Mundiais, o primeiro foi em 1998. Já tive todo tipo de função (papel). Já joguei como calouro, coadjuvante ativo, como protagonista e agora vou de novo como coadjuvante, mas pronto para dar a minha contribuição", destacou. A este grupo atual de dez jogadores convocados, Magnano ainda irá adicionar mais dois nomes após o Campeonato Sul-Americano, que começa nesta quinta-feira, na Venezuela, e vai até segunda. Auxiliar de Magnano, José Neto, técnico do Flamengo, vai comandar uma espécie de equipe B do Brasil neste torneio. A seleção considerada a principal vai treinar nesta semana na capital paulista e depois embarca para o Rio, onde participa de um triangular com Angola e Argentina, equipes que também estão no Mundial, no Maracanãzinho. O Brasil enfrenta os africanos no dia 31 de julho e depois os argentinos, dia 2 de agosto. Depois disso, o time ainda fará outros amistosos de preparação, incluindo uma partida contra os Estados Unidos. O jogo será realizado no dia 16 de agosto, em Chicago.