Servidores recebem marmita em ato contra falta de vale-alimentação

O benefício está atrasado já há 20 dias e nenhuma promessa da Secretaria Municipal de Saúde, foi comprida até hoje, segundo a categoria; protesto aconteceu em UPAs e Cersam

iG Minas Gerais | JULIANA BAETA |

Protesto foi por causa do atraso de 20 dias no vale-alimentação, benefício que é direito da categoria
SINDIBEL/ DIVULGAÇÃO
Protesto foi por causa do atraso de 20 dias no vale-alimentação, benefício que é direito da categoria

Depois de 20 dias sem receber o vale-alimentação, os servidores da prefeitura de Belo Horizonte, do setor de Urgência e Emergência da Saúde, realizaram uma manifestação simultânea nas Unidades de Pronto-Atendimento (UPA) e Centro de Referência em Saúde Mental (Cersam), no horário de almoço desta segunda-feira (21).

O ato contou com marmitas entregues aos servidores pelo Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Belo Horizonte (Sindibel), nas Upas Norte, Barreiro e Centro-Oeste e no Cersam Oeste, onde os trabalhadores protestavam com cartazes para receber o benefício, que é de R$ 17,00 por dia em alimentação.

De acordo com a categoria, os atrasos são comuns mas, este mês, a situação se tornou insustentável. “Consideramos este atraso um desrespeito aos trabalhadores da Urgência e Emergência, que já cumprem jornadas de trabalho extenuantes, com pouca ou nenhuma estrutura para a realização de suas atividades e, agora, estão vendo o mês chegar ao fim sem ter direito sequer ao benefício de alimentação”, afirmou Angela Assis, diretora de Saúde do Sindibel.

Os trabalhadores de Urgência e Emergência são os servidores da Saúde lotados nas UPAs, Cersam´s, Centros de Atenção Psicossocial (CAPs) e Serviços de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), o que totaliza cerca de 800 servidores que estão sem receber o vale-refeição do mês de julho, benefício, geralmente, debitado no dia primeiro de cada mês.

As manifestações ocorreram entre 12h e 13h, de forma pacífica, e sem intervenções no trânsito. De acordo com a Sindibel, uma reunião está marcada para o fim desta segunda-feira entre a categoria e o secretário municipal de Saúde Fabiano Pimenta para discutir as questões referentes ao vale-alimentação. Caso o benefício continue sem ser debitado para os servidores, é possível que a categoria paralise as atividades.

A reportagem entrou em contato com a Secretaria Municipal de Saúde e aguarda uma resposta sobre o motivo do atraso deste mês.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave