Família é feita refém em tentativa de assalto no Sul de Minas

Vítimas foram amarradas e amordaçadas; até o momento, quatro suspeitos foram detidos e um está foragido

iG Minas Gerais | Bruna Carmona |

Uma família foi feita refém durante uma tentativa de assalto em Campestre, no Sul do Estado, na manhã desse domingo (20). Dois suspeitos que participaram da ação e outros dois que teriam dado suporte aos assaltantes foram detidos. Um dos homens que invadiu a casa ainda está foragido. A suspeita é de que eles tenham recebido informações privilegiadas sobre a rotina da família, já que, segundo a polícia, a ex-namorada de um dos suspeitos é funcionária da joalheria. Nada foi roubado.

De acordo com a Polícia Militar (PM), três homens armados entraram na casa da família, que fica ao lado da joalheria que pertence a eles, no centro da cidade, e anunciaram o assalto. Quando viu que a casa estava sendo invadida, um dos moradores conseguiu sair pela porta da cozinha e outro saiu pela janela. Ficaram no imóvel uma mulher de 52 anos e um homem de 56, que foram amarrados e amordaçados. Ameaçando as vítimas com as armas, os suspeitos exigiram silêncio e perguntaram onde estavam os pertences da família.

A PM foi acionada e a casa, que fica na praça Delfim Moreira, foi cercada. Ao perceber que havia militares no local, um dos assaltantes, identificado pelos comparsas apenas como “João”, foi até a janela da sala e atirou contra um policial que estava do lado de fora. Os tiros acertaram uma árvore e o militar não se feriu.

Enquanto isso, o suspeito Raphael Ramos Gonçalves, de 23 anos, tentou fugir pelos fundos da casa, mas foi rendido e imobilizado por um sargento que estava no local. Ele gritou para que João aproveitasse o momento e fugisse, e assim o suspeito fez, passando pelos fundos da casa. Do lado de fora, Bruno William Ferreira, de 19 anos, aguardava em um Chevrolet Monza, para dar fuga aos suspeitos. Dentro da casa, o suspeito Maycon Rodrigues Mariano, de 24 anos, tentou usar uma das vítimas como refém para escapar, mas não conseguiu e foi detido.

Durante rastreamento, militares encontraram Ferreira, que foi detido quando volta à praça Delfim Moreira para buscar os outros comparsas. Em conversa com o rapaz, eles chegaram até Renato da Silva, conhecido como Tareco, que também estaria envolvido na tentativa de assalto. De acordo com a PM, a ex-namorada dele é funcionária da joalheria e, por isso, Silva teria informações privilegiadas sobre o funcionamento do local.

Os quatro suspeitos foram presos e, com eles, a polícia apreendeu uma pistola com três carregadores e 29 cartuchos calibre 32, além de dois cartuchos deflagrados de calibre 12. A ocorrência foi registrada na Delegacia de Poços de Caldas e o quinto suspeito, João, ainda está sendo procurado.  

Leia tudo sobre: campestrepolíciafamíliarefémassaltojoalheria