Investimento e mais profissionais não resolvem problema da saúde

Médico defende diálogo mais próximo com a classe para melhorar o setor no país

iG Minas Gerais | Lucas Ragazzi * |

Saúde pública é tema recorrente nas campanhas eleitorais
divulgação/ UFU
Saúde pública é tema recorrente nas campanhas eleitorais
A cada eleição, a saúde pública é uma das áreas mais debatidas nas campanhas políticas. Filas, falta de médicos e pouca estrutura são algumas das mais frequentes críticas da população ao sistema de saúde em municípios e Estados do país. Para o médico Breno Figueiredo Gomes, do Hospital Mater Dei, a gestão dos recursos da saúde e das qualidades dos serviços deve ser melhorada. “Em comparação com outros países semelhantes ao Brasil, o país fica bem abaixo em termos de recursos voltados para a saúde. É preciso valorizar a área com uma estrutura digna tanto para os pacientes quanto para os profissionais da área”, afirma Breno. De acordo com ele, essa valorização seria o primeiro passo para atrair investimentos e outros bons profissionais. “É evidente que existiu um sucateamento da rede pública nos últimos anos. O número de profissionais é suficiente, porém, as condições de trabalho afastam estes profissionais”, relata. Breno também afirma que programas sociais atuais não são suficientes para sanar o déficit existente na saúde. Além disso, a falta de diálogo com os profissionais inseridos no sistema é uma das preocupações mais graves no meio. “É preciso um estudo sério sobre o tema. É cansativo ver medidas sendo tomadas sem qualquer discussão”. Para o especialista, a melhor saída para uma reestruturação digna da área seria a partir de um diálogo junto com os profissionais da saúde.   * Com supervisão de Ricardo Corrêa

Leia tudo sobre: desafiosdesafioeleiçãoeleições2014saúdesaúde públicahospitaismédicos