Dilma Rousseff ganhou destaque como ministra do governo Lula

Trajetória da primeira mulher presidente do Brasil começou no combate à ditadura

iG Minas Gerais | Da Redação |

Dilma Rousseff foi ministra das Minas e Energia e da Casa Civil do governo Lula
Divulgação
Dilma Rousseff foi ministra das Minas e Energia e da Casa Civil do governo Lula
Na disputa pela reeleição ao Palácio do Planalto, Dilma Rousseff nasceu no dia 14 de dezembro de 1947, em Belo Horizonte, filha do búlgaro Péter Russév com a professora brasileira Dilma Jane Silva. Sua militância política se intensificou na luta contra a ditadura. Com o golpe militar em 1964, passou a integrar organizações de combate ao regime. Em 1970, perseguida pelo comando militar do país, Dilma Rousseff foi detida. Passou três anos no presídio Tiradentes e, quando foi solta, reorganizou sua vida em Porto Alegre. Em 1979, Dilma participou da campanha pela Anistia e ajudou a fundar o Partido Democrático Trabalhista (PDT), junto com Leonel Brizolla.  Economista, Seu primeiro cargo público foi o de secretária de Fazenda de Porto Alegre, durante a prefeitura de Alceu Collares, a partir de 1986. Cinco anos depois, assumiu a presidência da Fundação de Economia e Estatística do Rio Grande do Sul. Quando Collares foi eleito governador do Rio Grande do Sul, Dilma tornou-se, em 1993, secretária de Energia, minas e Comunicação no Estado. Ela voltaria a ocupar o mesmo cargo com Olívio Dutra no governo, em 1998. Quando Lula foi eleito em 2002, convidou Dilma Rousseff para fazer parte da equipe de transição com o governo de Fernando Henrique. Com a posse do petista, Dilma assumiu a pasta de Minas e Energia daquele governo. Em 2005, após o escândalo do mensalão, Dilma foi escalada para substituir José Dirceu na chefia da Casa Civil do governo Lula. Foi no cargo de maior força política no governo que começou a ser preparada para suceder o ex-metalúrgico. A chegada a Presidência se deu após as eleições de 2010, quando venceu José Serra no segundo turno. Dilma Rousseff recebeu 55 milhões de votos e tornou-se a primeira mulher presidente da República no Brasil. Agora, tenta ampliar seu mandato em mais quatro anos.

Leia tudo sobre: eleiçãoeleições2014candidatadilma rousseffdilmaptreeleiçãocandidatos