Lições importantes em campo

Equipes que vieram ao Brasil, mesmo as consideradas menores, deram “aulas” de estratégia

iG Minas Gerais | Victor martins |

Não foram apenas craques que desfilaram pelos gramados brasileiros durante a Copa do Mundo. Grandes times também foram destaques. Campeã pela quarta vez, a Alemanha é o principal exemplo da importância da organização tática de uma equipe.  

Joachim Löw montou um time com variações, com destaque para a equipe titular nas três últimas partidas, quando resgatou um esquema bastante conhecido dos brasileiros mais velhos.

Mesmo enfrentando França, Brasil e Argentina, Löw escalou a Alemanha no 4-3-3, com Klose centralizado. Müller e Özil viraram pontas, mas se transformavam em meias com a demanda do jogo. A França, do técnico Didier Deschamps, foi outra seleção que veio para o Brasil para jogar com dois pontas e o centroavante dentro da área.

O estilo de jogo ofensivo de várias seleções deve ser seguido no Brasil. O técnico Marcelo Oliveira, do Cruzeiro, gostou do que viu durante o Mundial. “Talvez haja uma reflexão em função da Copa do Mundo, e o maior legado que tivemos foi essa movimentação, a maior chegada de jogadores no ataque. Talvez isso vire moda”, disse o treinador celeste.

Mas não foram apenas as grandes seleções que deram lições ao futebol brasileiro. Equipes bem mais modestas, como Chile e Costa Rica, deixaram algum ensinamento: os chilenos com um futebol mais envolvente, de posse de bola e marcação sob pressão. Já os caribenhos optaram por uma equipe mais fechada.

Enfim, muita coisa boa passou pelo Brasil, que pode aprender e aprimorar seu estilo de jogo. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave