Ação na educação gera embate

Principais candidatos ao governo de Minas dedicam discursos ao tema com troca de acusações

iG Minas Gerais | Larissa Arantes |

Pimentel se encontrou com outros petistas, entre eles Patrus
Alex de Jesus
Pimentel se encontrou com outros petistas, entre eles Patrus

Os desafios da educação no Estado dominaram neste sábado os discursos dos dois principais candidatos ao governo de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT) e Pimenta da Veiga (PSDB). O petista criticou o atual tratamento dado pelo governo estadual aos servidores, em especial, da educação e prometeu mudanças. Já o tucano destacou a “revolução” na área que pretende fazer se eleito governador. “Como é que pode falar que Minas tem a melhor educação do Brasil com os professores ganhando o que ganham? (Estão) desvalorizados, sem carreira. As escolas abandonadas”, disparou Pimentel ao participar de reunião do PT na região do Barreiro, na capital. Foi a primeira vez que ele e o candidato ao Senado Josué Alencar (PMDB) – filho do ex-vice-presidente José Alencar – participaram de agenda de campanha juntos. O petista afirmou que tem sido procurado por funcionários públicos em diversas cidades mineiras com reclamações sobre a “desvalorização” e o “descaso”, nas palavras dele, e de “um mal tratamento do governo do Estado com o funcionalismo”. Questionado como pretende resolver a situação se for escolhido pelo voto popular em outubro, Fernando Pimentel disse que vai dar “prioridade” à educação. “Em quatro anos de governo é possível recuperar as defasagens salariais. É possível trabalhar para que a arrecadação do Estado seja dirigida para remunerar melhor os servidores”, destacou sem detalhar quais serão suas ações. Josué Alencar ressaltou que o fortalecimento das políticas educacionais no país faz parte de sua plataforma de governo e que pretende defender a causa no Senado. Ensino integral. Em Paracatu, no Noroeste do Estado, o principal adversário do petista, Pimenta da Veiga, destacou a importância de “avançar” nas conquistas da educação. “Quero ver todas as escolas públicas de Minas com o ensino integral. Mais do que isso, quero ver a criação de um centro de talentos que possa dar uma educação especial àqueles alunos que se destacarem por uma inteligência acima do normal. Quero ainda fazer um processo de intercâmbio cultural”, afirmou. O tucano defendeu uma “parceria” com os professores para fazer da educação mineira uma referência internacional. Pimenta confirmou que está em fase final de elaboração de seu programa de governo, mas não confirmou quando as propostas serão apresentadas. Resposta. O governo do Estado respondeu as críticas feitas pelo candidato do PT. Por meio de nota, informou que “reconhece e valoriza o empenho e o esforço dos servidores” e, por isso, antecipou a concessão da progressão da carreira dos servidores da educação, conforme negociado com a categoria. Sobre o pagamento do piso salarial da categoria, o governo, na nota, ressaltou que “paga, desde 2011, valor superior ao estabelecido pelo Ministério da Educação como piso nacional”.

Presidenciáveis confirmam compromissos em Minas A presidente Dilma Rousseff deverá desembarcar em Minas no próximo dia 1º de agosto. Ela virá acompanhada do ex-presidente Lula. As lideranças petistas irão participar de evento de campanha em Montes Claros, no Norte mineiro, ao lado de Fernando Pimentel. A data foi confirmada neste sábado pelo ex-ministro Luiz Dulci, um dos principais articuladores nacionais do partido. Já o candidato do PSDB a presidente, Aécio Neves, confirmou também neste sábado que começa sua campanha em Minas, nesta segunda. Em Caeté, na região Central, o tucano avisou que quer repetir um gesto que seu avô, Tancredo Neves, fazia em suas campanhas e pedir bênçãos no Santuário de Nossa Senhora da Piedade. Antes de Minas, Aécio vai a Crato, no Ceará, e Juazeiro do Norte, na Bahia, neste domingo.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave