Chapecoense surpreende e bate São Paulo

Ricardo Conceição marcou o gol que deu ao time catarinense a sua primeira vitória fora de casa

iG Minas Gerais | Agência Estado |

Em seu site oficial, Chapecoense já cravou subida à Série A
Aguante Comunicação/Chapecoense
Em seu site oficial, Chapecoense já cravou subida à Série A

Depois da grande atuação na quarta-feira, veio a decepção. Diante de sua torcida, no Morumbi, o São Paulo não conseguiu repetir neste sábado a performance exibida contra o Bahia, na rodada passada, e foi superado pela Chapecoense por 1 a 0. Ricardo Conceição marcou o gol que deu ao time catarinense a sua primeira vitória fora de casa no Campeonato Brasileiro.

A derrota em casa abreviou os planos do São Paulo de brigar pela liderança da tabela. Na quarta, o time de Muricy Ramalho chegou a igualar a pontuação do Cruzeiro, que venceu na quinta e manteve a vantagem de três pontos. Mas o inesperado revés contra a Chapecoense deixará o São Paulo, ainda com 19 pontos, mais distante da ponta.

A equipe catarinense entrou em campo pela primeira vez desde o recesso da Copa do Mundo porque folgou no meio de semana. A partida contra o Atlético-MG foi adiada por causa da Recopa Sul-Americana. Assim, a Chapecoense fatura seu terceiro triunfo do Brasileirão, o segundo seguido, já que havia batido o Bahia antes da Copa. Agora com 11 pontos, está mais distante da zona de rebaixamento.

Na próxima rodada, o São Paulo tentará se recuperar contra o Goiás, no Serra Dourada, no domingo, dia 27. A Chapecoense enfrentará o Santos, no sábado, dia 26, na Vila Belmiro.

O JOGO - Sem contar com o retorno de Luis Fabiano, Muricy Ramalho mandou a campo neste sábado o mesmo time que empolgou na vitória sobre o Bahia, quarta-feira, na retomada do Brasileirão. Ansiosa por mais uma boa atuação, a torcida compareceu em bom número ao Morumbi. Mas não teve motivos para comemorar no primeiro tempo.

O time não saiu do 0 a 0 porque sua estratégia de pressionar o rival, sair em velocidade e valorizar a posse não deu resultados diante da retranca dos catarinenses. Essa postura havia dado certo contra o Bahia, quando o São Paulo marcara seus gols e definira a vitória ainda na etapa inicial.

Neste sábado, a marcação pressão não teve o mesmo efeito. A saída rápida foi anulada pela postura defensiva da Chapecoense, que pouco buscava o ataque. E a valorização da posse - chegou a 70% na metade da etapa - não gerou jogadas de maior perigo no ataque. Na única boa chance do primeiro tempo, Douglas cruzou da direita e Ganso raspou de cabeça, rente à trave direita do goleiro Danilo.

A falta de lances incisivos no primeiro tempo foi compensada logo no início da segunda etapa. Aos 30 segundos, Ganso bateu de longe e quase marcou. Na sequência, Osvaldo cobrou escanteio e Antônio Carlos finalizou de primeira, com perigo. Aos 5, o mesmo Osvaldo lançou Alan Kardec, que tentou driblar o goleiro, mas parou na defesa de Danilo.

Sem converter nenhuma das três chances seguidas, o São Paulo acabou sofrendo o gol na única chance criada pela Chapecoense na partida. Em boa trama pelo meio da defesa anfitriã, o time catarinense trocou passes rápidos e Ricardo Conceição bateu na saída de Rogério Ceni, aos 11 minutos.

O gol desanimou e até irritou a torcida, mas não abalou o São Paulo. Os donos da casa aumentaram a pressão no ataque, sem sucesso. Na melhor chance, Ademilson fez boa cabeçada e Danilo pulou para fazer a defesa, aos 22. Insatisfeito, Muricy Ramalho mudou o ataque. E trocou Ademilson e Osvaldo por Pato e Ewandro.

As trocas não surtiram efeito e o São Paulo ficou ainda mais inoperante no ataque. Concentrado na marcação, o time visitante seguiu firme neutralizando cada jogada do favorito e garantiu mais três pontos na tabela.

Leia tudo sobre: chapecoensesão paulo