Misto do Galo conta com gol salvador de Luan e só empata com o Bahia

De olho na decisão da Recopa, time alvinegro poupou jogadores e precisou buscar o empate com o Tricolor neste sábado

iG Minas Gerais | VICTOR MARTINS |

ESPORTES BH MG: LANCES DA PARTIDA ENTRE ATLETICO MINEIRO X BAHIA VALIDA PELA 12 RODADA DO BRASILEIRAO 2014. NA FOTO:

FOTOS: DENILTON DIAS / O TEMPO / 19.07.2014
DENILTON DIAS / O TEMPO
ESPORTES BH MG: LANCES DA PARTIDA ENTRE ATLETICO MINEIRO X BAHIA VALIDA PELA 12 RODADA DO BRASILEIRAO 2014. NA FOTO: FOTOS: DENILTON DIAS / O TEMPO / 19.07.2014

De olho na decisão da Recopa, contra o Laníus, o Atlético não teve força máxima para enfrentar o Bahia, pela 11ª rodada do Campeonato Brasileiro. Mas jogar com o time misto não foi o suficiente para o Galo, que apenas empatou em 1 a 1, no Independência. Luan e Titi fizeram os gols da partida. Depois de dois meses sem jogar em Belo Horizonte, o retorno do Atlético ao Independência começou bem diferente do que a torcida imaginava. Depois de vencer o Lanús, na Argentina, de forma autoritária, o primeiro tempo atleticano diante do Bahia foi triste. A equipe mista escalada por Levir Culpi não apresentou volume de jogo. O número de finalizações resume bem a primeira etapa. Os visitantes chutaram seis vezes ao gol, contra apenas duas do Galo. As chances do Galo foram com Jô, aos 14 minutos, e Dátolo, em cobrança de falta, já aos 48 minutos. Essa diferença de pouco mais de 30 minutos foi suficiente para o Bahia abrir o placar e criar pelo menos duas oportunidades. O zagueiro Titi fez o gol do Tricolor, aos 25 minutos, de cabeça, depois de cruzamento de Rhayner. Alex Silva e Maicosuel eram os piores em campo e Levir Culpi fez duas alterações no intervalo que mudaram o rumo da partida. Entraram Pedro Botelho e Luan. Se nos primeiros 48 minutos o Galo tinha chutado apenas duas vezes, precisou de apenas 12 minutos no segundo para dar três finalizações. Era uma equipe com volume de jogo, com gana, algo que Luan sempre deu ao Atlético quando entrou em campo. Mesmo sem jogar desde dezembro do ano passado, Luan demonstrava em campo o ritmo de quem vem jogando todas os domingos e quartas. A vontade o da camisa 27, algumas vezes até chamada de loucura, foi premiada aos 20 minutos. O baixinho alvinegro apareceu sozinho dentro da pequena área para cabecear, depois de chute desviado de Jô. O gol apenas aumentou o ímpeto do Atlético, que em 25 minutos já tinha finalizado oito vezes, mais do que os dois times durante todo o primeiro tempo. Acuado, o Bahia adotou o cai-cai como estilo de jogo. Até mesmo sem trombar com jogadores do Galo, os atletas do tricolor deitavam no gramado e pediam atendimento médico. Por pouco, muito pouco ambas as equipes não marcaram o segundo gol. A melhor chance do Galo foi com Leonardo Silva, que mandou na trave. Já o Bahia parou em um milagre de Victor. No fim das contas, um resultado que não foi bom para ninguém.  

Leia tudo sobre: atleticogalobahiacampeonato brasileiroluantiti