Com um festival de duplos back flips, australiano fatura o X-fighters

Jon Sheehan ousou em belas acrobacias e não deu chances para os adversários no Parque Olímpico de Munique, na Alemanha

iG Minas Gerais | IGOR VEIGA |

O australiano Jon Sheehan, com um festival de duplos back flips e outras acrobacias, não deu chances para os adversários
REPRODUÇÃO/RED BULL
O australiano Jon Sheehan, com um festival de duplos back flips e outras acrobacias, não deu chances para os adversários

Munique, Alemanha. O clima não podia ser melhor. O céu limpo e o calor de 30°C, incomuns em Munique, levaram milhares de pessoas ontem ao Parque Olímpico da cidade alemã, neste sábado, para curtirem de perto a quarta e penúltima etapa do circuito mundial do Red Bull X-Fighters, um dos mais prestigiados eventos de FMX (motocross estilo livre) do planeta.  Não menos quente foi a disputa entre os melhores pilotos de FMX do mundo na inédita pista flutuante sob o histórico Lago Olímpico de Munique. Apesar do alto nível dos 12 competidores, como sempre, só um levou o troféu para casa. E quem mandou melhor na pista foi o australiano Jon Sheehan.

Com um festival de duplos back flipe outras belas acrobacias, o australiano não deu chance para o azar e “nocauteou” na final de ontem o japonês Taka Higashino. “Foi fantástico. Eu estou muito feliz, o Taka me pôs muita pressão, mas consegui relaxar, me divertir e fazer uma boa volta na final. Estou muito contente com o resultado”, disse o campeão da prova no pódio. O que chamou a atenção na performance de Sheehan foi sua incrível facilidade na realização dos back flips. Mandou pelo menos um em cada uma das suas quatro apresentação na pista flutuante de Munique até a vitória na grand finale da etapa alemão do X-Fighters.

Vencedor da última etapa do X-Fighters, em Madri, e campeão da temporada no ano passado, o francês Thomas Pagès mandava muito bem na pista, mas nas quartas de final acabou deixando a prova mais cedo ao cair da moto e sofrer uma queda feia. O acidente aconteceu quando tentava realizar uma acrobacia no quarter pipe, na terceira rampa do circuito. Sorte do alemão Luc Ackerman, que com o caminho aberto após a eliminação do rival e o apoio da torcida alemã, foi mais longe na competição. Só parou nas semifinais, quando foi eliminado pelo japa Taka Higashino. Pagès lamentou a precoce eliminação.

“Eu não sei bem o que aconteceu. Acho que coloquei muita força na aceleração e a moto subiu mais do que esperava e acabei sofrendo a queda.  Mas, bola para frente” comentou o francês já pensando na última etapa do circuito, em Pretória, na África do Sul, no dia 23 de agosto.

No grito da galera. A luta por uma das vagas na grande final de ontem do X-Fighters foi a mais emocionante. Aconteceu nas semifinais entre o atual líder da temporada, o australiano Levi Sherwood, e seu conterrâneo e campeão da etapa, Jon Sheehan. Ao fim das apresentações de ambos, houve empata nos critérios técnicos entre os dois competidores avaliados pelos cinco juízes da prova. A decisão saiu do resultado do quesito “energia”, que leva em conta a empolgação do público após as acrobacias. E Sheehan, segundo os juízes, contagiou mais os fãs do motocross e venceu o duelo por 3 a 2.

Leia tudo sobre: red bullx-fightersmunique