Aplicativo aponta vacinas exigidas

Recurso gratuito de web relaciona os países que exigem certificados dos visitantes e centros de saúde no Brasil

iG Minas Gerais | Da redação |

Aplicativo GSK mostra os países que exigem certificado  de vacinação e quais vacinas tomar
Reprodução
Aplicativo GSK mostra os países que exigem certificado de vacinação e quais vacinas tomar

Não só de passaporte válido e visto (ou não) carece o viajante na hora de visitar outro país. Em cerca de 130 deles, o certificado de vacinação contra febre amarela é obrigatório. Para facilitar tal consulta, a GSK acaba de lançar mais uma ferramenta de prestação de serviço em saúde: o aplicativo Viaje Prevenido, disponível para smartphones e tablets, nas plataformas IOS e Android, além de PC, por meio do site www.casadevacinasgsk.com.br/viaje-prevenido.

Na prática, basta escolher o destino no exterior e clicar no campo “pesquisar”. A tela seguinte mostrará as vacinas recomendadas e obrigatórias, além de fornecer dicas sobre certificados de imunização exigidos por alguns países. Outra vantagem é a possibilidade de localizar, por endereço, os centros de saúde do viajante e as clínicas que oferecem os serviços de imunização no país.

Prevenção

Sempre que for viajar para fora do Brasil, é importante procurar uma unidade de atendimento ao viajante – em Belo Horizonte, o serviço funciona na rua Paraíba, 890, Funcionários, de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h.

O Regulamento Sanitário Internacional em vigor determina que a única vacina que poderá ser exigida aos viajantes na travessia das fronteiras é a contra a febre amarela. Contudo, alguns países não autorizam a entrada no seu território sem comprovar a vacinação contra outras doenças, como é o caso da Arábia Saudita. Independentemente de exigências alfandegárias, os profissionais de saúde recomendam uma série de vacinas para a proteção do próprio viajante, como as contra febre tifoide, tétano e difteria, hepatites A e B, sarampo, caxumba e rubéola, poliomielite (Sabin e Salk), meningococo, pneumococo, raiva, influenza, encefalite japonesa e cólera.

Conscientização

Também é importante a vacinação de pessoas que viajam com frequência, mesmo dentro do país, revelou estudo feito pelo Ambulatório dos Viajantes do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP).

Segundo a professora associada do Departamento de Moléstias Infecciosas e Parasitárias da FMUSP e uma das autoras do estudo, Marta Heloisa Lopes, não existe uma preocupação com uma região em particular, uma vez que cada região no Brasil tem características específicas e “todas merecem atenção em relação a viagens”.

“Eu não acho que deveria haver um calendário de vacinação para quem viaja mais. Deve haver, sim, um trabalho educativo para que as pessoas se conscientizem de que precisam tomar alguns cuidados preventivos – que não incluem só vacinação – quando forem viajar”, alertou.

Arábia Saudita

Ainda é preciso vacina contra doença meningocócica e poliomielite para as pessoas provenientes de Afeganistão, Nigéria, Paquistão e Índia, onde o vírus é endêmico.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave