Petrobras vende participação na Gasmig para a Cemig por R$ 600 milhões

A conclusão da transação está sujeita a determinadas condições, como a aprovação pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica

iG Minas Gerais | Da Redação |

Valores. Investimento sai do papel assim que sócio privado entrar
FOTO : DOUGLAS MAGNO / O TEMPO
Valores. Investimento sai do papel assim que sócio privado entrar

O Conselho de Administração da Petrobras aprovou a venda da participação da empresa e sua participação acionária de 40% na Gasmig para a Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) por R$ 600 milhões. A informação foi divulgada pela assessoria de imprensa da Petrobras nesta sexta-feira (18). "Esta operação é parte da reestruturação de nosso portfólio na área de Gás e Energia, no âmbito do Plano de Negócios e Gestão 2014-2018", justificou a Petrobras.

Com a venda da fatia da Petrobras, a Cemig passaria a deter quase 100% das ações da Gasmig, já que já possui quase 59,57% do total (os restantes 0,3% são do município de Belo Horizonte). Reportagem de O TEMPO em 8 de julho revelou que as negociações estavam sendo feitas.

Segundo uma fonte da Gasmig, que pediu para não ser identificada, a sociedade entre Cemig e Petrobras sempre foi conflitante. “Até pouco tempo, a Petrobras detinha o monopólio do gás natural e, por isso, foi interessante para a Cemig se associar a ela, para fazer o negócio deslanchar. O problema é que a Gasmig sempre foi tratada como um cliente e a Petrobras sempre impunha condições vantajosas, o que não agradava a Cemig”, comenta a fonte.

Gasoduto

A Gasmig, concessionária exclusiva de distribuição de gás natural canalizado no Estado de Minas Gerais, é responsável pela distribuição de um volume de 4,1 milhões de m³/dia de gás natural, através de uma rede de mais de 850 km de gasodutos.

O Plano de Negócios da Gasmig contempla, além da expansão natural da rede atual de distribuição, com ênfase no segmento residencial e comercial, a construção de um gasoduto de distribuição de cerca de 500 km até Uberaba, visando ao atendimento à demanda do mercado do Triângulo Mineiro e da região Centro-Oeste de Minas Gerais e ao suprimento de 1,25 milhão m³/dia para a futura planta de fertilizantes da Petrobras naquele município.

"Nós somos os fornecedores do gás natural comercializado pela Gasmig, por meio de contratos de longo prazo. Esta transação não terá impacto sobre esses contratos", disse o comunicado publicado no site da Petrobras.

A Cemig, atual controladora da Gasmig com 59,57% das ações, é uma empresa integrada de geração, transmissão, distribuição e comercialização de energia elétrica como também de distribuição de gás natural e prestação de serviços de telecomunicações, entre outros negócios.

A conclusão da transação está sujeita a determinadas condições precedentes usuais, incluindo a aprovação pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) e a anuência do poder concedente estadual.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave