Excesso de pessoas está entre causas da explosão

Informação é de laudo da superintendência do trabalho e emprego

iG Minas Gerais | Jhonny Cazetta |

Explosão na última terça-feira deixou quatro mortos e um ferido
FERNANDA CARVALHO / O TEMPO
Explosão na última terça-feira deixou quatro mortos e um ferido

Excesso de explosivos, números maior que o permitido de trabalhadores e dupla atividade em um só espaço. Esses são os fatores, segundo um laudo emitido pela Superintendência Regional de Trabalho e Emprego de Minas Gerais (SRTE-MG), que podem ter contribuído para a explosão de um galpão da empresa Fogos Globo, matando quatro pessoas e deixando um ferido, na última terça-feira, em Santo Antônio do Monte, na região Centro-Oeste de Minas.

De acordo com o chefe de saúde e segurança do trabalho da superintendência, Francisco Reis, o laudo serviu de alicerce para a interdição do setor de fabricação da bomba batom, ocorrida anteontem. Após vistorias e depoimentos coletados de trabalhadores da fábrica, foi constatado pelos ficais que no galpão onde ocorreu a explosão estavam sendo executadas duas atividades diferentes.

“Além do processo de bicação (finalização) da bomba, única atividade que deveria ser desenvolvida ali, também estaria sendo feito o enfeitamento (embalagem) do produto, que era para ser feito em outro galpão. Com essas duas atividades, o galpão estava armazenando mais produtos do que deveria estar”, explicou Reis.

Além disso, de acordo com a norma de trabalho pré-estabelecida pelo Exército, somente quatro pessoas deveriam estar trabalhando no galpão. No dia da explosão, cinco funcionários estavam no local, mas normalmente os trabalhos estavam sendo feito por seis pessoas – uma delas estava de licença médica.

Outras irregularidades, como a falta de medidas coletivas de segurança, foram detectadas. Um dos casos seria a não suspensão do trabalho diante da baixa umidade do ar, que não pode ser menor que 40% para a realização da atividade. Na manhã do acidente, a umidade na cidade estava na casa dos 30%, segundo a SRTE-MG.

Nova. De acordo com Francisco Reis, uma nova vistoria deverá ser feita pela superintendência assim que a Fogos Globo voltar das férias coletivas, iniciadas logo após o acidente. Se irregularidades forem encontradas em outros setores da fábrica, novas interdições poderão ocorrer.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave