Mais de 27 pedidos de registros de candidaturas são impugnados em MG

Dessas solicitações questionadas, 19 são consideradas inelegíveis pela Lei da Ficha Limpa

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Mais de 27 pedidos de registros de candidaturas para as eleições de 2014 são questionados pela Procuradoria Regional Eleitoral (PRE) em Minas Gerais. Essas solicitações impugnadas são referentes aos pedidos feitos após o prazo legal, como divulgado nesta sexta-feira (18).

O PRE já registra 19 candidatos considerados inelegíveis pela Lei da Ficha Limpa. Com o levantamento divulgado nesta sexta, o número total candidaturas contestadas no Estado chega a 1.168.

Na nova análise, foram examinados 38 pedidos de registro de candidatura protocolados após o dia 5 de julho. No total, 34 são pedidos individuais de candidatos que alegam que tiveram os nomes escolhidos em convenção, mas cujas legendas não enviaram os dados ao Tribunal no prazo legal. Há ainda outros quatro registros de preenchimento de vagas remanescentes (quando as convenções não indicaram o número máximo previsto em lei). Dessas 27 contestações, 12 se somam às 853 impugnações por falta de documentos exigidos pela legislação eleitoral. Outros 13 pedidos se somam aos 289 impugnados por falta de condição de elegibilidade ou presença de hipótese de inelegibilidade, totalizando 301 candidaturas.

As candidaturas a deputado federal de Paulo Orlando Rodrigues de Mattos (PTdoB) e Anderson Adauto Pereira (PRB), também, foram questionadas. Paulo é considerado inelegível em razão de condenação criminal que suspendeu seus direitos políticos por oito anos, de 2009 a 2017. Já Anderson Adauto, foi condenado por improbidade administrativa em órgão colegiado.

Para ver a tabela atualizada com os 19 candidatos considerados inelegíveis de acordo com a lei da Ficha limpa, clique no link: 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave