Mulheres fazem ato contra projeto que cria 'vagão rosa' no metrô de SP

"É uma medida paliativa, que segrega a mulher, e que não resolve o problema do abuso", disse Julia Forbes, militante do grupo Rua - juventude anticapitalista

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Um grupo de cerca de 100 pessoas faz na tarde desta sexta-feira (18) um protesto na praça da Sé, centro de São Paulo, contra o projeto de lei que cria o chamado "vagão rosa", que é exclusivo para mulheres, nos trens do Metrô e da CPTM.

Criada pelo deputado Jorge Caruso (PMDB), a medida foi aprovada na Assembleia no dia 4 para proteger as mulheres de abusos sexuais no transporte superlotado. O projeto seguirá para o governador Geraldo Alckmin (PSDB), que pode vetar ou aprová-lo.

O ato na Sé é organizado por grupos feministas. "Violência não, quero poder andar em qualquer vagão", cantam as feministas, acompanhadas por uma bateria.

"É uma medida paliativa, que segrega a mulher, e que não resolve o problema do abuso. O vagão tira o direito da mulher a todo o espaço público", disse Julia Forbes, 19, militante do grupo Rua -juventude anticapitalista.

Policiais militares em dois carros acompanham o ato. No local, há também há agentes da GCM (Guarda Civil Metropolitana).