'Calor será o maior desafio em Hockenheim', diz Hamilton

Com as pistas alemãs chegando a 58 graus, piloto da Mercedes acredita que temperatura representará mais risco do que os adversários

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Hamilton vai apostar no mesmo motor porque acredita que o problema estava na fiação do carro
DIVULGAÇÃO/MERCEDES
Hamilton vai apostar no mesmo motor porque acredita que o problema estava na fiação do carro

Piloto mais rápido do dia, Lewis Hamilton demonstrou maior preocupação com o calor em Hockenheim do que com o desempenho dos rivais, depois dos primeiros treinos do GP da Alemanha de Fórmula 1. O inglês cravou o melhor tempo desta sexta-feira, deixando para trás o companheiro de Mercedes Nico Rosberg, com quem faz disputa direta pelo título.

"Foi difícil encontrar o equilíbrio adequado para o carro na pista com este calor", disse Hamilton. Os termômetros registraram 30 graus no circuito e até 58 graus na pista, as temperaturas mais elevadas enfrentadas por pilotos e equipes nesta temporada até agora. O calor acelerou a degradação dos pneus e preocupou os times até com o desgaste dos freios.

Hamilton, porém, manteve a confiança, apesar de a previsão indicar temperatura ainda mais elevada neste sábado: 33 graus. "O calor foi um desafio, principalmente para o carro. Mas é assim que eu gosto", declarou o piloto. "Mas vamos analisar todos os dados possíveis nesta noite".

Depois de vencer diante de sua torcida em Silverstone, Hamilton agora quer impedir que o alemão Nico Rosberg faça o mesmo em Hockenheim. Se conseguir evitar a vitória do companheiro de equipe, o piloto britânico tem boas chances de reassumir a liderança do campeonato, porque está a apenas quatro pontos de Rosberg - 165 contra 161.

Leia tudo sobre: formula 1hamiltongp da alemanhacorridacalor