Lula diz que no tempo de FHC era "roubar por roubar, sem denúncias"

FHC afirmou que o colega promove "baixarias e falsas acusações", é "incapaz da autocrítica" e tenta "distrair a opinião pública jogando culpa nos outros"

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

undefined

Em mais uma rodada de provocações públicas, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva desafiou nesta sexta-feira (18) o PSDB e seu antecessor, Fernando Henrique Cardoso, a provar que algum governo tenha criado "mais mecanismos para mandar prender corrupto" do que sua gestão.

Convocando mais uma vez a militância do PT a discutir a corrupção nas eleições, Lula afirmou que no governo FHC era "roubar por roubar e não tinha denúncia porque tinha um tapete muito grande para jogar toda sujeira para debaixo".

Nas últimas semanas, os dois ex-presidente têm trocado alfinetadas públicas sobre o tema. Na última terça-feira (15), Fernando Henrique publicou um artigo acusando o petista de omissão sobre o mensalão, principal escândalo de seu governo.

FHC afirmou que o colega promove "baixarias e falsas acusações", é "incapaz da autocrítica" e tenta "distrair a opinião pública jogando culpa nos outros". O texto foi uma resposta, com quase duas semanas de atraso, a uma fala de Lula apontando que o tucano "desmantelou instrumentos de combate à corrupção".

Lula, que declarou não ter o hábito de ler o tucano, decidiu rebater o colega nesta sexta (18), durante a primeira caminhada da campanha de Alexandre Padilha ao governo paulista. Segundo o petista, Fernando Henrique talvez não esteja gostando de seu discurso. "Eu vou continuar falando: nós temos que debater a corrupção nesse país. Eu duvido, eu desafio eles a provarem se algum presidente nesse país criou mecanismo de investigação, de apuração, de mandar prender corrupto que eu criei em oito anos", disse.

O petista, que criou em 2003 a Controladoria-Geral da União, afirmou ainda que em seu governo apenas pessoas honestas não era denunciadas. "Eu desafio quem foi que mais contratou policiais federais, que mais investiu na inteligência, que criou mecanismos de investigação de lavagem de dinheiro, quem mais puniu funcionário público nesse país".

O ex-presidente afirmou que o tema é delicado e que não gostaria de discutir, mas que está disposto a entrar no debate. "Tenho certeza que nenhum dele chega perto de nos em termos de cuidar do patrimônio público. Eu queria lembrar vocês uma coisa, além de outro tema tem a Prefeitura de São Paulo".

Para Lula, é preciso defender o partido. "Falo isso de cabeça erguida porque tenho consciência de que esse tema [corrupção] é delicado para nossa militância, para nossos jovens, para as mulheres porque eles vivem dizendo que o PT é corrupto e muitas vezes a gente abaixa a cabeça e nós temos que avisar para cada petista, vereador, deputado, senador, para todos nós que criamos esse partido para fazer o povo pobre andar de cabeça erguida nesse pais", disse. "Não nascemos para ser iguais a podridão da política desse país. se alguém nosso errar, tem que pagar o preço. Isso vale para política e vale para a casa da gente", completou.