Kiev é única forma segura de chegar à Ucrânia

Os aeroportos de Donetsk e Lugansk, principais focos de ação dos rebeldes separatistas no leste, não operam e o espaço aéreo da região está sendo evitado

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

A woman with a child walks past the crash site of a passenger plane near the village of Grabovo, Ukraine, Thursday, July 17, 2014. Ukraine said a passenger plane carrying 295 people was shot down Thursday as it flew over the country, and both the government and the pro-Russia separatists fighting in the region denied any responsibility for downing the plane. (AP Photo/Dmitry Lovetsky)
Associated Press
A woman with a child walks past the crash site of a passenger plane near the village of Grabovo, Ukraine, Thursday, July 17, 2014. Ukraine said a passenger plane carrying 295 people was shot down Thursday as it flew over the country, and both the government and the pro-Russia separatists fighting in the region denied any responsibility for downing the plane. (AP Photo/Dmitry Lovetsky)

A queda do avião da Malaysia Airlines no leste ucraniano transformou a capital Kiev, por enquanto, na única forma segura de chegar ao país por meio aéreo.

Os aeroportos de Donetsk e Lugansk, principais focos de ação dos rebeldes separatistas no leste, não operam e o espaço aéreo da região passou desde a última quinta (17) a ser definitivamente evitado como rota pelas empresas aéreas internacionais.

A reportagem se deslocou até Kiev em um voo da Ukraine Airlines, empresa local. Segundo os tripulantes, não há por enquanto qualquer sinal de que o aeroporto da capital sofrerá algum tipo de suspensão de voos.

O clima no aeroporto, porém, é de apreensão pelo que pode ocorrer no país após a derrubada nesta quinta (17) do Boeing-777 com 298 pessoas a bordo -- e nenhum sobrevivente.

Segundo os EUA, o avião foi derrubado por um míssil, embora ainda não se saiba de quem é a responsabilidade.

A região de Donetsk, no leste ucraniano, tem sido palco de confrontos entre os separatistas e o Exército da Ucrânia. Nesta semana, três aviões militares foram derrubados por rebeldes na região.

Leia tudo sobre: CriseUcrâniaRússiaMalaysia AirlinesQuedaAviãoConflitoPró-RússiaRebeldesMundoTragédiaMortesabatimento