Conselho de Segurança quer investigação completa sobre desastre aéreo

Os serviços secretos norte-americanos disseram "acreditar fortemente" que o avião foi abatido por um míssil terra-ar, de origem ainda desconhecida

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

O Conselho de Segurança das Nações Unidas pediu nesta sexta-feira (18) uma “investigação internacional completa, minuciosa e independente” sobre o avião da Malasya Airlines que caiu na Ucrânia, na última quinta-feira (17), matando 298 pessoas.

Numa declaração unânime, os 15 países-membros do Conselho também sublinharam “a necessidade de todas as partes acordarem acesso imediato ao local do acidente aos investigadores, para determinar as razões deste acidente”. Pedem que a investigação seja conduzida “segundo as regras da aviação civil internacional, para determinar de maneira apropriada” os responsáveis.

O Conselho manifestou suas “mais sinceras condolências aos familiares das vítimas, assim como aos povos e aos governos de todos aqueles que morreram na queda” do avião da companhia malaia.

No início da reunião de urgência do Conselho de Segurança, os embaixadores dos países-membros também observaram um minuto de silêncio em homenagem às vítimas.

O avião da Malaysia Airlines, com 298 pessoas a bordo, fazia o voo entre Amsterdão e Kuala Lumpur e desapareceu dos radares da Ucrânia a uma altitude de 10 mil metros. O Boeing-777 perdeu a comunicação com terra na região oriental de Donetsk, perto da cidade de Shaktarsk e palco de combates entre forças governamentais ucranianas e rebeldes pró-russos.

Os serviços secretos norte-americanos disseram "acreditar fortemente" que o avião foi abatido por um míssil terra-ar, de origem ainda desconhecida.