Capitão alemão na Copa, Lahm se despede da seleção

Apesar de a decisão ter sido oficializada nesta sexta, o técnico da seleção da Alemanha, Joachim Löw, já havia sido informado por Lahm na última segunda-feira

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Lahm abraça Klose após atacante fazer o gol que o torna o maior artilheiro da história dos Mundiais
LEO FONTES / O TEMPO
Lahm abraça Klose após atacante fazer o gol que o torna o maior artilheiro da história dos Mundiais

A seleção da Alemanha não contará mais com o seu capitão. Nesta sexta-feira, o lateral-direito Philipp Lahm anunciou a sua decisão de não defender mais a equipe, menos de uma semana depois de levantar a taça da Copa do Mundo no Maracanã, no Rio de Janeiro, após os alemães conquistarem o título do torneio pela quarta vez, com a vitória por 1 a 0 sobre a Argentina, em duelo definido apenas na prorrogação.

A Federação Alemã de Futebol (DFB) revelou que Lahm, de 30 anos, informou o presidente da entidade, Wolfgang Niersbach, de sua decisão por meio de um telefonema nesta manhã. Já o técnico da seleção da Alemanha, Joachim Löw, foi informado da decisão de Lahm na última segunda-feira.

"Eu posso dizer que logo no começo da conversa me pareceu inútil tentar convencê-lo a mudar a sua decisão. Ele não foi apenas um excelente jogador em dez anos pela seleção, mas sempre um modelo absoluto. Eu o agradeço por tudo o que entregou para a DFB", disse Niersbach.

Lahm jogou 113 partidas pela seleção da Alemanha, desde a sua estreia na vitória por 2 a 1 sobre a Croácia, em 18 de fevereiro de 2004, e marcou cinco gols pela equipe. Além do Mundial deste ano, o lateral também participou das Copas de 2006 e de 2010 e de três edições da Eurocopa, em 2004, 2008 e 2012.

Ao optar por não defender mais a seleção alemã, Lahm vai se concentrar no Bayern de Munique. O lateral renovou recentemente o seu contrato com o campeão nacional até 2018. O capitão da Alemanha na conquista da última Copa iniciou a sua carreira no clube, tendo uma rápida passagem pelo Stuttgart entre 2003 e 2005. Agora, só vai defender o Bayern, logo depois de ser figura fundamental para o tetracampeonato mundial alemão.