Soldado israelense e palestinos morrem durante conflito em Gaza

O governo de Israel lançou a operação terrestre em Gaza no fim da noite dessa quinta-feira (17), após o Hamas rejeitar um plano de cessar-fogo proposto pelo Egito no início da semana

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Israel anunciou nesta sexta-feira a primeira fatalidade desde o início da operação terrestre na Faixa de Gaza contra o grupo Hamas, sendo que as mortes de palestinos variam conforme a fonte.

Os militares afirmaram que o soldado foi morto na faixa norte de Gaza, mas as circunstâncias ainda não são claras. A ala militar do Hamas disse ter emboscado unidades israelenses na cidade de Beit Lahiya e afirmou ter provocado algumas baixas. Já a mídia israelense publicou que esse provavelmente foi um caso de fogo cruzado entre tropas israelenses.

O governo de Israel lançou a operação terrestre em Gaza no fim da noite de ontem, após o Hamas rejeitar um plano de cessar-fogo proposto pelo Egito no início da semana.

O general de brigada de Israel Moti Almoz disse a uma estação de rádio do Exército que "houve um número de pontos de fricção durante a noite". Em comunicado, os militares disseram ter matado 14 militantes em uma série de conflitos. Os soldados tiveram como alvo lançadores de foguetes, túneis e mais de 100 outros alvos. Já oficiais de saúde de Gaza disseram que 19 palestinos foram mortos desde o início da operação da noite de ontem.

Na cidade de Gaza, nuvens de fumaça preta podiam ser vistas em áreas próximas à fronteira com Israel e explosões podiam ser ouvidas na cidade.

Os militares disseram que 50 foguetes foram lançados contra Israel desde o início da operação terrestre. Desde a semana passada, mais de 1.500 foguetes foram lançados, acrescentaram.

Ainda na quinta-feira, 13 militantes armados do Hamas tentaram invadir Israel por meio de um túnel, mas foram impedidos por um ataque aéreo após aparecerem cerca de 250 metros dentro do território israelense.

Quinta-feira, o enviado palestino para a Organização das Nações Unidas (ONU), o embaixador Riyad Mansour, disse em entrevista à Associated Press esperar que negociações muito intensas no Cairo possam produzir um cessar-fogo entre Israel e Hamas o quanto antes. 

Leia tudo sobre: Faixa de GazaConflitoIsraelHamasMundoemboscadaBeit LahiyaEgitoFoguetes