Confiança em vitória nacional

Afastado da política, tucano ressalta feitos de quando comandou a capital

iG Minas Gerais | Larissa Arantes |

Pimenta da Veiga (PSDB) retornou à cena política como candidato ao governo de Minas depois de passar mais de dez anos dedicado à advocacia em Brasília. No ano passado, seu nome foi a solução para o imbróglio do PSDB para encabeçar a disputa no Estado. Para contemplar a base de apoio, o candidato a vice, deputado estadual Dinis Pinheiro, trocou de partido – do PSDB para o PP – e finalizou a composição da chapa.  

O tucano não poupou palavras e não demonstrou pressa ao falar de suas propostas e avaliações do Estado e do país na sexta-feira em que recebeu a reportagem – dia do Brasil x Colômbia pela Copa do Mundo.

Pimenta deixou a descontração para o final: “prepare um sapato com uma sola bem grossa para me acompanhar pelo interior do Estado”, avisou. A timidez ficou nítida no momento de tirar fotos. Preferiu não se sentar em cima da mesa, como o fotógrafo pediu. Mesmo assim, um dos assessores disse que já perdeu as contas de quantos selfies o candidato faz a cada agenda.

O 16 meses como prefeito de Belo Horizonte estão presentes em muitas das considerações feitas por Pimenta. Em vários momentos, ele recorreu à memória construída durante o tempo em que comandou a capital para explicar e dar exemplos das propostas que apresenta agora para o Estado. “A minha maneira de governar é participativa”, diz.

O ex-ministro divide suas repostas entre a defesa da gestão tucana no Estado, quando questionado sobre temas polêmicos, e em como “avançar” no que já está sendo feito. Claro, sem deixar de fazer referência ao nome do senador e presidenciável Aécio Neves (PSDB) e de criticar a postura do governo federal em vários aspectos. “Vamos eleger Aécio presidente. Nós vamos ganhar em Minas, vamos ganhar em São Paulo, além de ganhar no Sul e no Centro-Oeste”, conclui o tucano.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave