A voz Celeste

iG Minas Gerais |

Há muito venho falando que as categorias de base são a redenção dos grandes clubes do mundo. Parece que agora os dirigentes do Brasil começaram a ter essa ideia. Tanto é que até na seleção brasileira Gallo foi efetivado como o novo diretor de futebol. O que quer dizer isso? Que foi efetivado o homem forte das categorias de base do Brasil, no profissional. E a ordem é observar a garotada e fazer um planejamento para a Copa de 2018. Sou a favor de um treinador estrangeiro, principalmente, Guardiola, que é um treinador que dá um padrão de jogo até para as categorias de base, prioriza o toque bola e a ofensividade. Ele tem a cara do futebol brasileiro. O engraçado é que os treinadores brasileiros pegaram a característica dos europeus de jogar atrás, ou seja, são retranqueiros. Os valores se inverteram ou os nossos treinadores pararam no tempo?  Avacoelhada No fim dos 90 minutos, independentemente de ter jogado bem ou mal, o mais importante são os três pontos. Mas, em campeonato longo igual o Brasileirão, a possibilidade de conquistar o maior número possível de vitórias é proporcional ao desempenho do time mais bem preparado. O América deve buscar a excelência em cada partida. Além de vencer o Oeste, também demonstrar evolução tática, técnica e física. Pablo e Gilson priorizarem os cruzamentos da linha de fundo em vez dos lançamentos da intermediária. André se posicionar melhor nas bolas pelo alto. Guerreiro aumentar o número de desarmes. Andrei e Willians maximizarem os passes certos e minimizarem os errados. Tchô e Mancini criarem as oportunidades e Obina acertar as conclusões. Magrão e Lucas Silva são opções. Concentração no Espetinho do Marquinho, Pitangui, 3.189. A voz da Massa

Saudações alvinegras! Demorou, mas valeu a pena esperar para rever o Galão da Massa em campo. Nosso time voltou com tudo depois da Copa, detonando o Lanús na casa deles por 1 a 0, dando um passo gigantesco para o título da Recopa. Era esperada uma pressão dos hermanos, mas quem dominou logo nos primeiros momentos foi o Galo, que partiu para cima, adiantando o time inteiro para marcar o adversário sob pressão no seu campo de defesa, enquanto o nosso ataque criava boas chances de gols. Após o intervalo, Levir, numa boa sacada, voltou com Jô e Guilherme. Jô conseguiu segurar a bola no ataque para a aproximação de Tardelli e Maicosuel, e Guilherme deu mais velocidade ao time, com passes rápidos e boas assistências, como a do gol do matador Tardelli. Perfeito! Basta só um empate no Mineirão para o Galo levantar mais um caneco internacional. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave