Réu assume parte da culpa por morte do filho de atriz

"Eu tenho uma certa responsabilidade por ter virado no túnel", disse Rafael Bussamra

iG Minas Gerais | Da redação |

Ag News
undefined

Na última audiência do julgamento do caso de atropelamento de Rafael Mascarenhas, filho da atriz Cissa Guimarães, o acusado, Rafael Bussamra, assumiu parte da responsabilidade pelo acidente.

O atropelamento aconteceu no dia 20 de julho de 2010, quando Mascarenhas andava de skate no túnel Acústico da Gávea, na zona sul do Rio, que estava fechado para manutenção.

"Eu tenho uma certa responsabilidade por ter virado no túnel", disse o réu.

Rafael responde pelos crimes de homicídio culposo, participação em competição automobilística não autorizada (racha), afastamento do local do crime, adulteração de prova e corrupção ativa contra os dois policiais.

Ele nega que estivesse participando de um racha e disse que não sabia que o túnel estava em manutenção. Afirmou ainda não entender por que é acusado de evasão. "Isso vocês têm que perguntar para eles [testemunhas]", declarou.

Além de Rafael, Roberto Martins Bussamra, pai do acusado, também é réu no processo. Ele foi ouvido pelo magistrado na última audiência. Roberto responde pelos crimes de adulteração de prova e corrupção ativa contra dois PMs.

Pai e filho declaram que foram coagidos pelos PMs a oferecer pagamento.

Perguntado por que não denunciou a atitude dos policiais quando foi à delegacia, horas após o atropelamento, Rafael não soube responder.

O depoimento de Rafael foi o último ouvido pelo juiz Guilherme Schilling Pollo Duarte, da 16ª Vara Criminal da Capital, antes da emissão da sentença.

Tanto Ministério Público quanto a defesa têm agora cinco dias para apresentar suas alegações finais.

Cissa Guimarães assistiu à audiência na companhia da família. Ao final, disse estar segura da condenação de Rafael Bussamra.

"Pelas contradições no depoimento dele, está bem nítido que a justiça será feita. A de Deus já está feita, pois ele [Rafael] nunca mais vai conseguir ser feliz, mas a dos homens também tem que ser feita. O que eu mais espero é que a ida do meu filho ensine a essa família o que é ser cidadão", declarou.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave