EUA dizem que avião foi derrubado

Os destroços do Boeing 777 têm as cores da companhia aérea malaia. É provável que o avião tenha explodido no ar, embora haja corpos inteiros

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

O vice-presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, afirmou nesta quinta (17) que a queda do avião da Malaysian Airlines "não foi um acidente". A fala vai ao encontro de relatos de dois oficiais do Exército americano, segundo os quais o avião foi alvejado por um míssil terrestre.

Biden afirmou ainda que falou ao telefone com o presidente da Ucrânia, Petro Poroshenko, e que os Estados Unidos ofereceram ajuda para apurar o acidente

Segundo o vice-presidente americano, uma equipe do Exército dos Estados Unidos "estará rapidamente a caminho para ver se podemos chegar ao que causou o acidente".

Dezenas de corpos em pedaços estão espalhados em um raio de 15 km, na região da cidade de Grabovo, próximo a Donetsk, segundo relatos de agências de notícias. Serviços de emergência dizem que pelo menos cem corpos foram encontrados até agora.

Os destroços do Boeing 777 têm as cores da companhia aérea malaia. É provável que o avião tenha explodido no ar, embora haja corpos inteiros.

Separatistas ucranianos afirmam ter encontrado uma das duas caixas-pretas do avião e pretendem pedir um cessar-fogo de três dias, para que o incidente seja investigado, de acordo com agências russas.

O presidente da Ucrânia, Petro Poroshenko, acredita que um "ato terrorista" foi a causa da queda do avião, disse seu assessor.

"Poroshenko crê que esse avião foi abatido: não é um incidente, não é uma catástrofe, mas um ato terrorista", afirmou Svatoslav Tsegolko.

O confronto entre separatistas pró-Rússia e forças ucranianas na fronteira já provocou a queda de aviões militares nesta semana.

Mais cedo, um assessor do ministro do Interior da Ucrânia também disse que a aeronave foi derrubada por um míssil lançado a partir do solo. A informação, porém, ainda não foi confirmada oficialmente.

"Terroristas, usando um sistema de mísseis Buk fornecido por Putin [presidente russo], derrubaram um avião civil", disse pelo Facebook.

A Malaysia Airlines divulgou nota em que confirma ter pedido contato com o voo MH17 às 11h15 (hora de Brasília) quando ele sobrevoava a Ucrânia, a 50 quilômetros da fronteira com a Rússia. Segundo a companhia, havia 280 passageiros e 15 membros da tripulação a bordo.

Foram confirmados 23 americanos e quatro franceses a bordo. O avião ia de Amsterdam para Kuala Lumpur, capital da Malásia.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave