Alguns dos corpos de acidente aéreo estão intactos, diz jornalista

"Não havia casas nas redondezas; A única estrutura visível era uma estrutura de criação de aves com viveiros, ao longe", afirma Sabrina Tavernise

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

A jornalista do 'New York Times' Sabrina Tavernise, que estava na região em que ocorreu o acidente aéreo da Malaysia Airlines nesta quinta-feira (17), afirma que alguns dos corpos estavam intactos, sentados em seus assentos do avião.

De acordo com o relato, publicado no "New York Times", o fato é indício de que o "avião fez, pelo menos, algum tipo de pouso controlado".

Sabrina afirma que "muitas das vítimas estavam ainda em seus assentos ou presas a pedaços da fuselagem". Ela acrescenta que pedaços do avião estavam espalhados por toda a região rural e nas estradas próximas.

"Não havia casas nas redondezas. A única estrutura visível era uma estrutura de criação de aves com viveiros, ao longe."

A jornalista descreve algumas das vítimas: um jovem de bermuda azul e tênis, segurando um iPhone; um menino de cerca de dez anos com uma camiseta escrito "Não entre em pânico", entre outros.