Homem é preso por estuprar pelo menos cinco crianças em Santa Luzia

Ele usava doces para atrais as crianças e as levava de carro para um lugar afastado, onde consumava o ato; o suspeito é casado há mais de 20 anos e tem quatro filhos e netos ainda bebês

iG Minas Gerais | JULIANA BAETA |

Suspeito era casado há mais de 20 anos e família nunca desconfiou
Divulgação/ Polícia Civil
Suspeito era casado há mais de 20 anos e família nunca desconfiou

O conselho de mãe sobre não aceitar doces de estranhos na rua poderia ter evitado o estupro de pelo menos cinco crianças em Santa Luzia, na região metropolitana de Belo Horizonte. Um mestre de obras foi preso nesta semana suspeito de pedofilia e o número de vítimas pode ser ainda maior.

Ninguém esperava que o pai de família Elton Fernando, 52, casado há mais de 20 anos, utilizasse o tempo livre para atrair as crianças do bairro São Geraldo, onde mora, com doces e balas. As vítimas eram levadas de carro pelo suspeito a um lugar afastado, na saída da cidade, onde ele as estuprava, geralmente, sem nem precisar sair do carro.

Segundo a delegada Bianca Prado da Delegacia de Mulheres de Santa Luzia, já foi confirmado que Elton estuprou cinco crianças com idades entre 5 a 11 anos, sendo duas meninas e três meninos. Com uma delas, ele não chegou a consumar o ato, mas com as outras quatro, foram constatadas as penetrações anais.

A delegada acredita que com a divulgação do caso na mídia é possível que surjam ainda mais vítimas. “Eu diria que é quase certo que ele estuprou mais crianças além destas que estão no inquérito”, disse.

A denúncia chegou a Polícia Civil por meio do Conselho Tutelar, após uma reunião de pais na escola em que as vítimas estudam, também no bairro São Geraldo. Uma das crianças ficou tão traumatizada com o abuso, que precisa de remédios para dormir.

A família de Elton, que tem quatro filhos e netos ainda bebês, nunca desconfiou do suspeito. Ele pode pegar até 15 anos de prisão em regime fechado por cada estupro cometido, enquadrado como crime de estupro de vulnerável. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave