Marin promete anunciar novo técnico do Brasil até terça

Em coletiva, presidente da CBF não quis dar pistas ou adiantar nomes, mas reafirmou que futuro comandante será brasileiro

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Presidente da CBF parabenizou Alexandre Kalil pela vaga do Atlético nas finais da Copa Libertadores da América
Presidente da CBF parabenizou Alexandre Kalil pela vaga do Atlético nas finais da Copa Libertadores da América

A CBF deve anunciar até a próxima terça-feira o nome do novo técnico da seleção brasileira. A informação foi dada nesta quinta pelo presidente da entidade, José Maria Marin, em entrevista coletiva no Rio. O dirigente garantiu que a decisão pelo nome será feita em conjunto.

Se o nome não foi revelado, há apenas uma certeza: o novo técnico será brasileiro. "Não é o momento", avaliou Gilmar Rinaldi, novo coordenador de futebol da seleção, ao ser questionado sobre a possibilidade de se contratar um treinador estrangeiro.

"Depende de algumas conversas (a definição do novo técnico). Esperamos até terça-feira. Ainda estamos conversando, vendo as peculiaridades. É muito importante que o treinador, além da sua capacidade técnica, tenha pensamentos que venham de encontro ao que se foi dito aqui, pelo Gilmar e pelo Alexandre Gallo (coordenador das categorias de base)", defendeu Marin.

A definição sobre o novo técnico acontecerá no fim de semana, em reunião que contará também com a presença de Marco Polo del Nero já eleito futuro presidente da CBF.

O perfil do novo técnico já foi traçado. Será alguém estudioso do futebol e que se proponha a viajar pelo mundo acompanhando o trabalho de outras equipes e interagindo com outros técnicos. "É um momento especial, delicado. Temos que ter humildade de saber reconhecer isso", frisou Rinaldi.

O novo treinador também deverá acompanhar mais de perto os trabalhos das categorias menores da seleção. "A base nossa toda vai ser a base da seleção", assegurou o novo coordenador técnico.

LONGO PRAZO - Ao ser questionado sobre o substituto de Luiz Felipe Scolari, oficialmente demitido na última segunda-feira, Marin explicou que o novo comandante será chamado para realizar um trabalho que visará o ciclo cujo principal objetivo será a conquista da Copa do Mundo de 2018, na Rússia. Isso depois de Felipão ter sido contratado durante a gestão do atual presidente da CBF após a abrupta demissão de Mano Menezes, no fim de 2012.

"Não pode ser alho de afogadilho, é algo muito sério, um projeto de curto, médio e longo prazo. Não será só para amistosos e Copa América, mas também para a Copa do Mundo. Vamos fazer todo esforço. Se tudo ocorrer como esperamos, vamos anunciar e apresentar na terça-feira o novo treinador", avisou o dirigente.