Polícia mexicana resgata mais de 450 menores em internato

Pai desesperado ofereceu dinheiro à proprietária para ter suas filhas de volta

iG Minas Gerais |

Situação. Meninos e meninas abandonados viviam em condições degradantes, dizem as autoridades
Bruno Gonzalez
Situação. Meninos e meninas abandonados viviam em condições degradantes, dizem as autoridades

CIDADE DO MÉXICO, México. O Exército e a Polícia Federal do México resgataram 458 crianças de um internato para meninos e meninas abandonados, que viviam em condições degradantes, e algumas delas sofreram abusos sexuais, conforme informaram fontes oficiais.  

O procurador geral do México, Jesús Murillo, afirmou durante uma entrevista coletiva que o resgate ocorreu anteomtem após uma revista na casa conhecida como “La Gran Familia”, na cidade de Zamora, localizada no Estado de Michoacám, no sudeste do México. “Descobrimos que havia cerca de 500 crianças em condições terríveis”, afirmou o procurador geral mexicano.

A ação das autoridades começou quando juntaram-se cinco queixas por parte dos pais de que a casa não iria devolver seus filhos. De acordo com informações de membros envolvidos na operação, as crianças do internato tinham que pedir esmolas, comer alimentos estragados e dormir entre insetos.

Proprietária. A casa é dirigida por Rosa del Carmen Verduzco, que está sendo investigada pelas autoridades do México. O local servia de abrigo para 278 meninos, 174 meninas, além de seis bebês. No internato, também viviam 138 adultos de mais de 40 anos.

Os bebês nascidos na casa de abrigo foram registrados como filhos de Rosa Verduzco. Um pai desesperado chegou a oferecer 10 mil pesos (US$ 770 ou R$ 1.700) para ter de volta suas filhas.

Abandono. La Gran Familia foi fundada em 1947 e era responsável por cuidar de crianças abandonadas por pais problemáticos, conforme divulgou a página da casa no Facebook. Além disso, a descrição na rede social afirma que o local oferece educação escolar para meninos e meninas. O financiamento viria de doações, assim como de empresas e do próprio governo mexicano.

As autoridades locais estão oferecendo suporte às crianças que sofreram abusos psicológico e sexual e estão procurando casas adequadas para as vítimas, segundo informou o governo.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave