Com a Selic em 11% ao ano, veja como ficam os juros dos empréstimos

Com a manutenção do juro básico, a Selic, em 11% ao ano, a taxa média de juros para pessoas físicas é de 101,98% ao ano (ou 6,03% ao mês)

iG Minas Gerais | Da redação |

Com a manutenção do juro básico, a Selic, em 11% ao ano, a taxa média de juros para pessoas físicas é de 101,98% ao ano (ou 6,03% ao mês), segundo cálculos da Anefac (Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade).

Em maio, o juro médio ao consumidor ficou em 100,76% ao ano (ou 5,98% ao mês -o maior nível desde agosto de 2012), ainda de acordo com a associação.

Em julho de 2011, quando a Selic estava em 12,50% ao ano, esse juro médio ao consumidor era de 121,21% ao ano.

Apesar da redução nos últimos dois anos, os juros cobrados do consumidor final são muito superiores à Selic, alertam consultores.

Seu bolso

Para não se endividar nesse cenário de juros altos, o consumidor deve procurar manter uma reserva financeira, destinando um valor mensal para a formação de poupança, afirma a contadora Dora Ramos, da Fharos Assessoria Empresarial.

"É preciso haver uma mudança na forma de encarar as finanças e se preocupar em pagar à vista um produto. Se optar por parcelar, o consumidor pode acabar pagando três vezes o produto", afirma.

Em cenário de juros altos, os empréstimos ficam mais caros. Então o recomendado é evitar o crédito e tentar quitar o endividamento que já tenha, afirma. "Se possível, trocar a dívida cara por uma mais barata, como no consignado ou o empréstimo pessoal", diz.

Para Nicolas Tingas, economista-chefe da Acrefi, o consumidor deve fazer escolhas pautadas no realismo financeiro. "Quando a gente tem um momento de baixa atividade e inflação alta, o consumidor tem que ser extremamente cauteloso com o orçamento dele. Se ele tem necessidade de consumir para repor algum produto, como eletrodoméstico quebrado, deve optar por um modelo mais em conta", afirma.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave