Temer reassume presidência do PMDB para reforçar campanha eleitoral

Quando a petista foi eleita, Temer se manteve licenciado porque o regimento interno da sigla vedava a presidência para quem assumisse cargos no Executivo federal; isso foi mudado

iG Minas Gerais | Da redação |

José Cruz/ABr
undefined

O vice-presidente da República, Michel Temer, reassumiu nesta quarta-feira (16) a presidência nacional do PMDB com o intuito comandar as articulações políticas para a eleições de outubro e para reforçar a campanha em todo o país. Ele permanecerá no cargo até o fim das eleições.

Temer havia se afastado do comando do partido em 2010, quando se candidatou a vice na chapa de Dilma Rousseff. Quando a petista foi eleita, Temer se manteve licenciado porque o regimento interno da sigla vedava a presidência para quem assumisse cargos no Executivo federal. As regras foram alteradas na convenção nacional do partido, realizada em 10 de junho, para permitir o retorno do peemedebista ao comando da legenda.

"Poderei ter um protagonismo maior de natureza exclusivamente política. Vou percorrer todo o país para tentar fazer prevalecer o nosso PMDB", afirmou Temer em ato na sede do partido localizada na Câmara dos Deputados. Ele ficará no cargo por 70 dias.

Em nota divulgada nesta terça-feira (15), o presidente interino até terça-feira (16), o senador Valdir Raupp (RO), afirmou que Temer terá atuação plena no período eleitoral para falar em nome do partido.

"Com o retorno, Michel terá uma atuação plena em todas as decisões do partido neste período eleitoral em que o PMDB trabalha para a eleição das maiores bancadas no Congresso Nacional, nas Assembleias Legislativas e Distrital, além do maior número de governadores e vice-governadores", disse.

Raupp vai assumir a vice-presidência do partido e cuidar de assuntos administrativos da sigla. O senador afirma que vai se dedicar à reeleição de Dilma, que garante a permanência do PMDB no governo.

O partido lançou 18 candidatos a governador, dez a vice-governador e dez senadores, além de milhares de pessoas candidatas a deputados federais e estaduais. Segundo o partido, é a maior presença do PMDB nas eleições estaduais desde 1994. "A presidência de Temer é essencial para que o PMDB continue sendo o maior partido do Brasil. Queremos ter a maior bancada no Congresso e o maior número de governadores", afirmou o senador Eunício Oliveira (CE), tesoureiro do PMDB.

O PMDB é hoje o partido com maior número de senadores, mas na Câmara o PT é a sigla que reúne a maior bancada. O partido também governa seis Estados, mas tem o objetivo de ampliar essa marca.

Em junho, o PMDB aprovou a reedição da chapa com Dilma.

Copa

O vice-presidente aproveitou a ocasião para elogiar a execução da Copa do Mundo. "Foi um sucesso administrativo extraordinário", disse. Ele fez questão de separar o fraco desempenho da seleção brasileira em campo da organização do Mundial. "Não devemos confundir o que aconteceu em campo com o que foi feito para a realização da Copa", disse.

Ele ressaltou o trabalho direto de três ministros do PMDB no planejamento e execução da competição: Moreira Franco (Aviação Civil), Vinícius Lages (Turismo) e Edison Lobão (Minas e Energia). "Mencionando os seis ministros que tiveram atuação no sucesso da Copa, metade é do PMDB", afirmou Temer.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave