Boato sobre toque de recolher gera medo em moradores do Água Branca

Segundo a PM, se trata apenas de um boato; segundo moradores, seria uma represália pela morte de um traficante antigo

iG Minas Gerais | JOSÉ VÍTOR CAMILO |

Web Repórter
undefined

Um suposto toque de recolher gerou medo entre os moradores do bairro Conjunto Água Branca, em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte, no início da noite desta terça-feira (16). A informação é de que um toque de recolher foi imposto por traficantes por conta da morte de um bandido nesta terça-feira (16), o que fechou comércios e levou à um reforço no policiamento na região. 

Segundo as informações de moradores, que preferiram não se identificar, o toque de recolher foi imposto após a morte de Milton Jardim da Silva, mais conhecido como Romarinho, que seria um traficante antigo da região. Ele foi morto com vários tiros na tarde de terça no bairro Riacho das Pedras. 

Segundo uma mulher, que é moradora do bairro há 19 anos, ela ficou sabendo por conhecidos que bandidos passaram nos comércios avisando que era para baixar as portas. "Chegou para a gente e estamos todos com medo. Tem muito policiamento na minha rua, na avenida Cinco. Tá tendo blitz, estão abordando pessoas suspeitas. Aqui perto só uma loja fechou, mas o restante está aberto porque tem policiamento intenso na porta. Já teve toque aqui, mas essa é a primeira vez que vejo tanto policiamento. Fui na padaria e vi eles abordando um pessoal, blitz", disse a moradora.

Ainda conforme ela, a informação é de que a companhia da PM, localizada na avenida Dois, seria atacada. "Mas não sabemos que horas vão atacar, se realmente vai ter algo, aí ficamos todos alertas. Não sei se terá aula na escola, porque até a papelaria está fechada. O que sei é que este Romarinho era traficante há mais tempo, foi preso e, quando saiu, acabou morto", disse. 

Nas redes sociais, muitos moradores compartilham a informação de que a Escola Estadual Catarina Jorge Gonçalves teria dispensado os alunos. "O catarina estava dispensando os alunos, busquei meu irmão e seu amigo.  O batalhão confirmou, minha amiga ligou pra lá . Fiquem atentos e avisem seus conhecidos, não brinquem com a sorte! Os policiais mataram alguém ontem, não vou entrar em detalhes como se fosse uma fofoca, o importante é alertar os moradores. A informação foi passada hoje, e parece que os conhecidos da pessoa que morreu vão subir pro batalhão hoje pra vingarem", dizia um dos posts compartilhados.

Boato

De acordo com a instituição de ensino, alguns pais foram buscar os filhos por medo após receberem a informação, porém, não foram todos a ser liberados. Ainda conforme a escola, o turno da noite terá aula normalmente. 

Apesar das informações, muitos comerciantes permaneceram abertos. "Chegaram a comentar que teria o toque de recolher, mas eu não acredito nisso", disse o dono de uma padaria da região que estava aberta no início da noite.

De acordo com os militares da 43ª Companhia do 39º Batalhão da PM, não há toque de recolher. Segundo a corporação, se trata apenas de um boato, porém, o policiamento foi reforçado na região para aumentar a sensação de segurança da população.