Vítimas de explosão em fábrica de fogos começam a ser enterradas

Incêndio ocorreu em um barracão onde é feita a "bicação" da "bomba batom"; local ficou completamente destruído; seis pessoas trabalhavam no espaço, mas uma delas faltou ao serviço nessa terça-feira

iG Minas Gerais | Fernanda Viegas/Aline Diniz |

CIDADES - SANTO ANTONIO DO MONTE - MG 
Cortejo em homenagem a uma das vitimas da explosao da fabrica de fogos de artificio Fogos Globo , que aconteceu na manha de ontem (15) , em Santo antonio do Monte - MG .

FOTO : Uarlen Valerio / O Tempo   16.07.2014
UARLEN VALERIO / O TEMPO
CIDADES - SANTO ANTONIO DO MONTE - MG Cortejo em homenagem a uma das vitimas da explosao da fabrica de fogos de artificio Fogos Globo , que aconteceu na manha de ontem (15) , em Santo antonio do Monte - MG . FOTO : Uarlen Valerio / O Tempo 16.07.2014

Duas das quatro mulheres mortas em uma explosão em uma fábrica de fogos de artifício, nessa terça-feira (15), foram enterradas na manhã desta quarta-feira (16), em Santo Antônio do Montes, na região Centro-Oeste de Minas Gerais.

Familiares e amigos de Maria das Graças Gonçalves Siqueira, 42, e de Marli Lúcia da Conceição, 39, estão reunidos no Cemitério Municipal desde a madrugada quando iniciaram o momento de despedida.

A prima de Maria das Graças, que também trabalha em uma fábrica de explosivos contou que ouviu o forte barulho e ligou para o irmão, que deu a notícia do acidente com sua parente. “A gente que trabalha (no ramo) tem consciência do que pode acontecer. Só o nome já explica: explosivo. Vamos, mas não sabemos se voltamos”, desabafou Maria Gonçalves Pereira, 32.

Após o acidente, a mulher repensa a profissão e ainda vai decidir se retornará ao trabalho. De acordo com ela, as pessoas só aceitam trabalhar nessas fábricas por falta de opção.

Segundo uma cunha de Maria das Graças, ela estava no emprego há um ano e ela teria se mudado para Santo Antônio do Monte para que os filhos pudessem estudar.

Muito pesarosa, a família de Marli pouco se manifestou durante o enterro dela. A mulher morava apenas com uma filha em casa própria. “Estava sempre disposta e sorrindo, pronta para ajudar os outros”, lembrou a amiga da vítima, a doméstica Gleidiane Aparecida Cardoso de Oliveira, 19.

Relembre o caso

O acidente aconteceu por volta das 7h20, em um dos 150 barracões da Fogos Globo, no bairro Bela Vista. Duas bombas estouraram dentro de uma caixa, espalhando o fogo até acontecer a explosão, momentos depois. Elenilson Gonçalves, 20, que manuseava os explosivos, contou que gritou ao perceber o problema, para que as colegas saíssem, mas só ele conseguiu escapar a tempo. O jovem teve ferimentos leves.

O incêndio ocorreu em um barracão onde é feita a "bicação" da "bomba batom". O local ficou completamente destruído. Seis pessoas trabalhavam no espaço, mas uma delas faltou ao serviço, porque estava passando mal.