Copa do Mundo foi um bom negócio

Fomos o maior fornecedor de equipamentos de inspeção de raio X”, conta Viegas

iG Minas Gerais | Helenice Laguardia |

Na visita do papa Francisco ao Rio de Janeiro, no ano passado, foram usados 20 equipamentos da mineira VMI. Na Copa das Confederações, outros 110, e, na Copa do Mundo, foram alocados cerca de 170 aparelhos de inspeção de raio X. Então, a Copa foi um bom negócio? Para o diretor técnico da VMI, Alan Viegas, com certeza.  

“Ficamos surpreendidos pelo sucesso da locação que funcionou em 11 dos 12 estádios da Copa. Fomos o maior fornecedor de equipamentos de inspeção de raio X”, conta Viegas.

O valor da operação não foi divulgado. “Existe uma licitação para fazer a operação dos estádios na Copa do Mundo, e a VMI já é uma empresa conhecida nessa área”, diz. Prevendo a demanda, a VMI se preparou para o Mundial. “Porque os contratos de locação desses equipamentos foram decididos com prazo muito próximo ao evento”, diz o executivo. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave