Honda CB300F

Modelo pelada deriva da irmã CBR300R, que substituiu a CBR250R no mercado mundial

iG Minas Gerais |

Nova Ninja ZX-14R Limited Edition com 300 exemplares exclusivos
Kawasaki/divulgação
Nova Ninja ZX-14R Limited Edition com 300 exemplares exclusivos
A Honda CB300F, um modelo Naked (pelado), exclusiva de uso nas ruas, foi lançada nos EUA. Ela é uma versão que descende do modelo esportivo CBR300R. Com o desenho arrojado e limpo, com linhas retas, ficou muito bonito, lembrando o modelo brasileiro que usa motor de refrigeração a ar. Além disso, tem banco mais estreito e rebaixado, que facilita a utilização por pessoas de baixa estatura sem prejudicar a dirigibilidade. A posição de pilotar é mais ereta, o que oferece mais conforto ao ocupante. A Honda destaca a economia de combustível do novo modelo. Motor moderno Nessa nova configuração o propulsor de um cilindro recebeu todas as modernidades dos seus concorrentes, incluindo aí a refrigeração líquida, que propicia aumentar a rotação, a potência, a durabilidade e até a economia. O motor da nova CB300F é um monocilíndrico de 286 cc com comando duplo no cabeçote e quatro válvulas por cilindro e, claro, de refrigeração líquida, além do câmbio de seis marchas (a nossa tem cinco marchas). Os freios são a disco e as suspensões são telescópicas na frente e de monoamortecedor atrás. O modelo será oferecido nos EUA por US$ 4 mil (aproximadamente R$ 9 mil) somente na cor vermelha. Não há previsão oficial de vinda para o Brasil. No entanto, esse é o modelo que pode substituir a boa CBR250R ou até a nossa guerreira CB300R no início de 2015. Motonotícia A nota Jaspions X Motoclubes da semana retrasada resultou em algum mal-entendido que quero desfazer agora. 1 – Não sou contra os motociclistas esportivos; 2 – Não sugeri encontro de jaspeiros para separá-los dos outros eventos de motociclistas, mas para que pudessem se comportar com as regras que quisessem, onde seriam os donos da festa. A intenção é, antes, separar as atitudes erradas e perigosas, e não as pessoas, e 3 – Eles têm o direito de participar, como todos, de qualquer festa pública, desde que se comportem de acordo com o ambiente, as regras da festa e acatem as leis de trânsito (e as outras), para segurança, bem-estar e confraternização de todos. Jaspions X Motoclubes II. Assim como o lugar de correr sem limite da lei é no autódromo, o local adequado para acelerar até estourar giro, pneu e enfumaçar o ambiente ou outra qualquer exibição com motos esportivas é em espaço adequado, com proteção para o público que foi lá para ver isso. Exibições isoladas no meio do público é desrespeito, ilegalidade e rebeldia de bobos. Essas atitudes acabam causando reações que podem resultar em brigas que devem ser evitadas. Motoexibição de acrobacias e etc. tem que ser planejada e autorizada em local seguro, preparado para proteger a plateia. Exibições individuais clandestinas podem resultar em acidentes graves e até em morte, e a responsabilidade será também do organizador do evento que permitiu o ato ilegal dentro da área aberta ao público. Boa informação é saber que a poucos ali presentes agrada ouvir um barulho ensurdecedor e ter fumaça de pneu entrando nos pulmões, além do perigo de uma moto sem controle atingir as pessoas. Moto esportiva não é sinônimo de Jaspion. É bom esclarecer ainda que nem todo motociclista esportivo age ou tem atitude infantil e inadequada e, portanto, não é jaspeiro; poucos o são. Assim, alerto para o perigo da discriminação e de se colocar todo mundo num saco só. A maioria dos esportistas é motociclista responsável. A nova Kawasaki Ninja ZX14R Limited Edition, que foi apresentada ontem, terá apenas 300 unidades numeradas. O modelo, um dos mais rápidos do seu segmento, remete para a primeira moto de 1984 e comemora o 30º aniversário do lançamento. Ela custará a bagatela de US$ 15.899 nos EUA e não há informação de que virá para o Brasil. Será um modelo de colecionador.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave