Risco de meningite cresce com baixas temperaturas

Segundo especialistas, época é a mais propícia para transmissão da doença

iG Minas Gerais | Camila Bastos |

O frio chegou de vez e, em todo o Estado, as baixas temperaturas devem continuar até o fim de agosto. Durante esses dias, as pessoas tendem a ficar em ambientes fechados e mais perto umas das outras, e esse hábito facilita a transmissão de várias doenças. Uma das principais é a meningite que, se não tratada, pode ter graves sequelas e ser, até mesmo, fatal. Até maio deste ano, foram 31 mortes em Minas Gerais, e 268 contaminações, sendo que 104 foram em Belo Horizonte.

“A meningite é mais comum no inverno. O ar seco e poluído, e a grande aglomeração de pessoas em ambientes fechados facilitam a transmissão, principalmente do tipo viral”, explica o médico infectologista Marcelo Silva Oliveira, gerente assistencial do Hospital Eduardo de Menezes.

Para evitar a meningite, os cuidados são os mesmos daqueles para prevenir doenças transmissíveis por vias aéreas, como evitar aglomerações em lugares fechados e cuidar sempre da higiene das mãos. A vacina para os três principais tipos de bactérias causadoras da doença é oferecida pelo Sistema Único de Saúde.

Segundo o calendário oficial de vacinação do Ministério da Saúde, a vacina pentavalente é oferecida em três doses (aos 2, 4 e 6 meses) e cuida das bactérias do tipo hemófilo. A pneumocócica tem a mesma frequência e é reforçada no 12º mês de vida, e a meningocócica C é disponibilizada em duas doses para as crianças de 3 e 5 meses, com reforço no 15º mês.

Os adultos devem procurar os postos de saúde para verificar a disponibilidade das injeções. Nos laboratórios particulares, cada dose da pentavalelente e da meningogócica C custa, em média, R$ 180, e a da pneumocócica, R$ 280.

doença. A meningite, segundo Marcelo Oliveira, é uma inflamação nas membranas que envolvem o cérebro, as meninges, e é causada principalmente por vírus ou bactérias. A forma mais comum de transmissão é por meio das vias respiratórias, assim como a gripe.

De acordo com o infectologista, as meningites causadas por bactérias são mais graves e precisam de atenção – o tratamento deve ser imediato, já que podem trazer danos como paralisia, dificuldade de fala e audição, convulsões, perda de equilíbrio e dificuldade de aprendizagem. No caso das doenças causadas por vírus, o tratamento é mais brando, e, geralmente, é direcionado para os sintomas.

Números da doença

Belo Horizonte

2013.  Foram 232 casos confirmados em todo ano. Desses, 33,2% foram bacterianos, 26,7% virais, 8,6% foram por outras etiologias e 31,5% não foram especificados.

2014. Até 30 de maio, foram confirmados 104 casos. Entre eles, 28,9% foram bacterianos, 23% foram virais, 13,5% foram por outras etiologias e 34,6% não foram especificados. No mesmo período do ano passado, tinham sido contabilizados 103 casos.

Minas Gerais

20130 . Foram 142 mortes entre 1.042 casos, sendo 38,9% bacterianos, 23,7% virais, 7,9% por outras etiologias e 29,3 % não foram especificados.

2014. Até o fim de maio deste ano, a Secretaria de Estado de Saúde registrou 31 fatalidades entre os 268 casos de meningite no Estado. Desses, 36,9% foram bacterianos, 30,2% foram virais, 8,9% foram por outras etiologias e 23,8% não foram especificados.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave