BHTrans divulga a implantação de novos equipamentos de fiscalização

Entram em funcionamento, nesta quarta-feira (16), aparelhos para monitorar invasão de faixa exclusiva, detector de avanço de semáforo e equipamento de fiscalização para restrição de caminhões

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

A BHTrans coloca em funcionamento mais dois equipamentos de fiscalização eletrônica de invasão de faixa exclusiva para ônibus a partir da próxima quarta-feira (16). Localizados na  Av. Augusto de Lima, eles serão implantados nas esquinas entre rua Goiás e rua da Bahia e entre rua Rio de Janeiro e rua Espírito Santo.

Na Avenida do Contorno também haverá modificações, com a implantação de um equipamento de fiscalização eletrônica, que será usado para monitorar o acesso às áreas com restrição de circulação para  caminhões, carretas e cavalos-mecânicos. Colocado entre as ruas Andaluzita e Antero da Silveira, sentido anti-horário, o equipamento vai controlar as três faixas de trânsito da via, com intuito de garantir a fiscalização 24 horas por dia. 

A  BHTrans também implantará um novo detector de avanço de semáforo que ficará localizado nas esquinas da rua São Paulo com Av. Afonso Pena  e da rua dos Tupinambás com Av Afonso Pena. Contando com este, ao todo serão 47 equipamentos,  em operação na cidade.

A escolha dos locais foi feita pela empresa a partir de estudos técnicos que consideraram as localidades com maior incidência de acidentes; intensidade no fluxo de pedestres; o tipo e a quantidade de acidentes com e sem vítimas, inclusive fatais; o número de acidentes por período; o grau de severidade dos acidentes; o tipo de veículo envolvido; dentre outros fatores.

Segundo a BHTrans, o principal objetivo da instalação dos detectores de avanço semáforo é humanizar o trânsito da capital, contribuindo de forma efetiva para redução do número de acidentes, principalmente de atropelamentos, fatais e não fatais em cruzamentos, trabalhando para melhorar as condições de segurança e mobilidade, através do respeito ao semáforo e aos pedestres.

Ainda de acordo com a BHTrans, BH teve 7,6 mortes para cada 10.000 veículos, média inferior à de outras capitais do país.