Dispositivo criado por empresa mineira leva prêmio Cannes Lions

O projeto, desenvolvido pela agência DM9Rio para o Hospital Amaral de Caravalho, em Jaú, contou com tecnologia da agência mineira de comunicação digital 3bits Estúdio Criativo

iG Minas Gerais | JOSÉ VÍTOR CAMILO |

Ursinho faz parte do tratamento das crianças desde o início deste ano
FUDANÇÃO AMARAL CARVALHO/DIVULGAÇÃO
Ursinho faz parte do tratamento das crianças desde o início deste ano

Desde o início do ano as crianças que passam pelo tratamento de câncer no Hospital Amaral de Carvalho (HAC), na cidade de Jaú, em São Paulo, contam com um estímulo a mais para superar as dificuldades: o Ursinho Elo. O bicho de pelúcia conta com uma tecnologia inovadora que visa diminuir a solidão dos pequenos levando a qualquer hora do dia mensagens de áudio gravadas por familiares via o aplicativo Whats App, bastando apenas que a criança aperte a mão do urso.

O projeto, que contou com a participação da agência mineira de comunicação digital 3bits Estúdio Criativo, ganhou o Leão de Ouro na categoria Mobile (melhor trabalho criativo ativado por meio de dispositivos móveis) no 61º Prêmio Cannes Lions. Este é o maior festival de criatividade em comunicação do mundo e foi realizado entre os dias 15 e 21 de junho na França.

O Ursinho Elo é uma criação da agência DM9Rio para o Hospital do Câncer de Jaú que também contou com a participação da empresa mineira e da FOM, fabricante de travesseiros, brinquedos e almofadas com material antialérgico. A 3bits criou a tecnologia que permite aos pais, familiares e amigos das crianças mandarem mensagens de áudio para um número exclusivo de cada criança e, sempre que o paciente apertar sua mão as vozes dos entes queridos são ouvidas.

Além disso, existe a possibilidade dos médicos do hospital escolherem as mensagens mais importantes de acordo com o andamento e resultado do tratamento das crianças. De acordo com o diretor superintendente do HAC, Antonio Luís Cesarino de Moraes Navarro, o prêmio simboliza o reconhecimento da excelente iniciativa que visa diminuir a solidão de crianças e adolescentes durante as internações por câncer. “A humanização no atendimento aos pacientes e seus acompanhantes é característica do hospital, que tem quase 100 anos”, disse.

A oncologista pediátrica da instituição, Claudia Teresa de Oliveira, afirma que, por não poderem ficar em contato com o meio exterior quando estão internadas, por conta da baixa imunidade, a tecnologia é muito útil. “É um mecanismo de apoio emocional importante para o bem-estar dos pacientes. Afastadas de sua rotina habitual, as crianças sentem falta dos amigos, da escola e esse carinho faz uma enorme diferença na recuperação”, afirma.

Vídeo

Um vídeo com imagens das reações das primeiras crianças ao ouvirem mensagens pelo dispositivo foi postado na página do hospital no início de abril. Em menos de um mês as imagens já haviam sido vistas por 800 mil pessoas. O vídeo também foi compartilhado milhares de vezes no Facebook, tomando conta das redes sociais.

Assista: