Copa teve mais de 6 mil atendimentos médicos e 72 crianças perdidas

Sem nenhum caso mais grave, evento terminou com balanço positivo e dentro do esperado; crianças foram todas encontradas

iG Minas Gerais | Thiago Nogueira |

undefined

Rio de Janeiro. Em um evento como a Copa do Mundo pode acontecer de tudo. Mal estar, desencontros, necessidades de ajuda ou até a perda de objetos e documentos. No balanço final da competição, a Fifa apresentou a lista de diferentes problemas que foram resolvidos. Em todas as cidades-sede, foram registradas 72 casos de crianças perdidas. Todas, no entanto, foram solucionadas. A quantidade de itens pessoais encontrados chegou à marca de 1.326 objetos. Os serviços médicos atenderam 6.230 pessoas nos 64 jogos, uma média de 97 casos por partida. O número representa 0,16% do público total, um valor dentro do esperado, que é de 0,1% a 0,3%. A Fifa registrou 159 casos que precisaram da remoção para unidades de saúde e hospitais fora dos estádios, número que representa 2,55% do total de atendimentos. Foram realizados também 5.303 serviços de cadeira de rodas e entregues mais de 20 mil pulseirinhas para facilitar a identificação de crianças. 

Leia tudo sobre: Copa do Mundofutebolfifamédicocrianças